Início > Cinema > Se cair na estrada, não case

Se cair na estrada, não case

Não é a primeira vez que o diretor Todd Phillips faz um filme de viagem. Em 2000, ele dirigiu “Caindo na Estrada”, uma comédia que não parou nas prateleiras das locadoras por um tempo e que até hoje é reprisada com frequência pelo TeleCine. Justiça seja feita: a fita era realmente hilária, capaz de explorar o conceito surrado da viagem desastrosa entre um grupo de amigos e de brincar, dentro dos limites do besteirol, com estereótipos da cultura americana. Isso foi bem antes de “Se Beber, Não Case”, a comédia mais rentável de 2009 que ajudou a colocar Phillips no mapa daqueles que o tinham descartado.

Com seu novo trabalho, “Um Parto de Viagem”, ele parece disposto a unir o elemento “fita de estrada” que já desbravou com a personalidade mais risível de “Se Beber, Não Case”, o ator característico Zach Galifianakis. Adicione à fórmula o sempre irresistível Robert Downey Jr e teria-se, aí, um resultado imperdível. Infelizmente, nem todas as expectativas para essa conjugação épica são correspondidas. O roteiro, escrito à oito mãos, fica devendo melhores piadas (na sala em que o assisti a reação foi bastante fria, apesar de estar lotada em função do feriado) e carece de uma unidade (fica a sensação de que cada roteirista ficou responsável por um segmento e depois juntaram tudo sem revisar).

Na trama, o personagem de Downey Jr. precisa voltar à Los Angeles antes que a esposa dê à luz o primeiro filho do casal. Como um mal-entendido faz com que ele seja banido do sistema aéreo, tem de pegar carona justamente com o sujeito que o fez ser expulso do avião – um aspirante à ator sem qualquer tipo de conduta social interpretado por Galifianakis. Os papeis não lhes dão oportunidades (sugerem, por exemplo, que Downey Jr teve problemas com o pai e que não está, ele próprio, preparado para lidar com uma criança, mas jamais levam isso adiante). De qualquer maneira, a dupla tem química e carisma de sobra, e consegue segurar as pontas mesmo quando o texto não está à altura. O público ainda pode se espantar de ver Jamie Foxx numa mísera ponta – sinal indubitável de que a carreira não vai nada bem.

.:. Um Parto de Viagem (Due Date, 2010, dirigido por Todd Phillips). Cotação: B-

Categorias:Cinema
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: