Início > Cinema > Coisa mais linda!

Coisa mais linda!

Um jovem e seu irmão são raptados por um grupo de supremacistas radicais, que pretendem convertê-los, via uma lavagem cerebral bastante literal, em peças de sua força militar. O irmão é facilmente seduzido pelo discurso nazista, que propõe a escravidão e eventual extermínio da raça considerada inferior. Já o protagonista fará as vezes de herói e não sucumbirá à pressão, fugindo para se juntar à nobre resistência no outro lado do oceano. Que essa premissa densa seja o ponto central de um filme para crianças é de se espantar. Mais surpreendente ainda é que toda a história seja protagonizada não por humanos, e sim por corujas guerreiras!

Assim é “A Lenda dos Guardiões”, a nova animação da Warner a estrear nos nossos cinemas. O estúdio nem sempre desbrava o gênero, mas quando o faz, não costuma decepcionar – vide “Happy Feet – O Pinguim”, um dos seus feitos mais notáveis nos últimos anos e vencedor inesperado do Oscar da categoria. O diretor deste aqui é Zack Snyder, de “300” e “Watchmen” – um cineasta que, apesar de irregular, demonstrou possuir olho clínico para a concepção visual dos seus mundos. Não por acaso, “A Lenda dos Guardiões” tem um acabamento excepcional e efeitos que, desde já, precisam ser colocados entre os finalistas do Oscar.

O desenho dos personagens, cujas penas cheias de textura farfalham com o vento, é extraordinário, e as sequências envolvendo geadas, gotas de água e labaredas são de cair o queixo, especialmente quando comparados aos resultados artificiais de outras empreitadas recentes. Os confrontos entre os pássaros são muitíssimo bem coreografados, com alguns planos de câmera pra lá de inspirados. A desvantagem é que Snyder tem o hábito de flertar com a câmera lenta – o recurso é necessário a certo ponto, para que o público faça a distinção dos personagens em meio à ação frenética; daí em diante, é apenas uma opção estética e redundante. De qualquer forma, quando tudo isso é somado ao 3D, no IMAX, com o som vindo de todos os lados, atinge o espetacular.

Só por isso, “A Lenda dos Guardiões” merece ser apontado entre as animações mais perfeitas já produzidas. E se decepciona em alguns momentos é porque o roteiro, numa análise racional, é medíocre em suas opções. A pesquisa indica que foi adaptado de uma série de livros (ao final, fica a deixa para um próximo filme, que provavelmente não acontecerá, uma vez que a bilheteria ficou aquém do esperado). Pensando bem, dá para sentir que se trata de uma pasteurização: a narrativa é truncada, a passagem de tempo não é muito bem delineada e existem mais personagens do que a trama necessita para se sustentar.

As crianças pequenas podem ter dificuldade em seguir o raciocínio ou mesmo se chocar com algumas soluções (há momentos de tensão que nos fazem pensar que, mesmo que sobrevivam, aquelas corujas ficarão traumatizadas para sempre). Também esperava mais da trilha sonora, que deveria embalar as cenas de voo com maior euforia – mas confesso que gostei da canção “To the Sky”, do Owl City, que toca lá pela metade, dando ao espectador uma pausa para respirar, e acompanha também os créditos finais. Em todo caso, vale conhecer “A Lenda dos Guardiões” – de preferência, na maior tela de cinema que você encontrar.

.:. A Lenda dos Guardiões (Legend of the Guardians – The Owls of Ga’Hoole, 2010, dirigido por Zack Snyder). Cotação: B-

Categorias:Cinema
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: