Início > Premiações, TV > Prêmio Louis de qualidade – Parte 4

Prêmio Louis de qualidade – Parte 4

Vamos aos vencedores das categorias de Melhor Série de Comédia da temporada que passou!

OUTSTANDING COMEDY SERIES

COMMUNITY • Season 1 • NBC
Tape A: “Spanish” + “Introduction to Statistics”
Tape B: “Comparitive Religion” + “Physical Education”
Tape C: “Contemporary American Poultry” + “Modern Warfare”

Foi um ótimo ano para comédias. Se, por um lado, veteranos do gênero como “30 Rock” e “Family Guy” tiveram suas temporadas mais irregulares até então, por outro tivemos adesões de qualidade na programação, como três das minhas finalistas, “Community”, “Glee” e “Modern Family”. Dei à primeira o título de Melhor Série de Comédia 2009/2010, e creio que todos que já pararam para assistir vão considerar a decisão justa. “Community” tem um texto cheio de sacadas legais, uma direção sempre de acordo, e atores que parecem se importar genuinamente uns com os outros. Os personagens são adultos meio fracassados, cursando uma faculdade comunitária (que, nos Estados Unidos, é destinada aos párias da sociedade, que não foram aprovados nas universidades de grande porte). Mas acabam desenvolvendo uma amizade verdadeira, apoiando-se para enfrentar uma situação desfavorável. A primeira temporada apresentou episódios legendários, como o da guerra de paintball e aquele que parodia “Os Bons Companheiros”. Se você nunca viu, meus pêsames.

.

OUTSTANDING LEAD ACTOR IN A COMEDY SERIES
The Big Bang Theory • Jim Parsons • “The Staircase Implementation”

O Dr. Sheldon Cooper, com suas paranóias e idiossincrasias, é o personagem mais relevante e risível de “The Big Bang Theory”, comédia que se tornou um cult instantâneo pelo vasto repertório nerd. Sheldon por vezes é um chato de galochas, a ponto de nos fazer imaginar porque os amigos do personagem suportariam conviver com alguém tão sistemático. Mas, mesmo quando é o caso, Jim Parsons pega o tom da piada e extrai todo o potencial de diálogos carregados e “overwritten”. Foi, merecidamente, o vencedor do Emmy 2010, ainda que pelo episódio errado (minha escolha, “The Staircase Implementation”, mostra como Sheldon e Leonard se tornaram colegas de quarto).

.

OUTSTANDING LEAD ACTRESS IN A COMEDY SERIES
United States of Tara • Toni Collette • “Torando!”

A excelente australiana Toni Collette arrasava em “United States of Tara” desde a irregular primeira temporada, e neste segundo ano, que apresentou um salto criativo em termos de roteiro, a voltagem de sua atuação foi multiplicada. A série funciona tanto como uma comédia sobre uma família disfuncional, igual a muitas que encontramos no cinema independente americano, quanto como drama de personagem (no caso, uma mulher que sofreu um trauma muito grande no passado – não fica especificado que trauma foi esse -, e que, em função disso, sofre de um distúrbio de múltiplas personalidades). À medida em que se aproxima da verdade sobre seu passado, novas camadas da composição de Collette vão aflorando. Rainha!

.

OUTSTANDING SUPPORTING ACTOR IN A COMEDY SERIES
Modern Family • Eric Stonestreet • “Fizbo”

Eric Stonestreet, vencedor do Emmy de coadjuvante deste ano, é, de fato, o mais engraçado e mais ilustre membro do elenco de “Modern Family”. A série é muito boa, capaz de resgatar algumas tramas clássicas das sitcoms familiares e de reciclá-las com o frescor dos dias de hoje. Mas, certamente, não seria tão bem sucedida nessa tarefa sem o gordinho gay e espalhafatoso Cam, que Stonestreet (hétero na vida pessoal) interpreta com a maior dignidade e precisão.

.

OUTSTANDING SUPPORTING ACTRESS IN A COMEDY SERIES
Glee • Jane Lynch • “Throwdown”

Nenhuma atuação deu tanto o que falar na TV nessa temporada quanto a de Jane Lynch em “Glee”. Como a implacável treinadora Sue Sylvester, Lynch, uma atriz característica que já tinha abrilhantado outras comédias de sucesso com seu timing impecável, rouba a cena de todos do elenco. Como arquétipo, Sue é um daqueles indivíduos indissoluvelmente americanos, obcecados com a vitória e com seu status pessoal. Nesses parâmetros, Lynch rende as maiores risadas, mesmo que seu tempo seja limitado a alguns minutos por episódio. Também é curioso quando sugerem que, por trás desse escudo de crueldade e acidez, Sue é uma mulher frágil e insegura, que nem sempre compreende as coisas que a rodeiam, e por isso as despreza. Mas, em nenhum momento, ela desce do salto ou perde a pose.

.

OUTSTANDING DIRECTING FOR A COMEDY SERIES
Community • “Modern Warfare” • Justin Lin

No melhor episódio cômico do ano, os personagens de “Community” se engalfinham numa guerra de paintball que destrói o campus da faculdade. A direção é extremamente importante para realçar a comicidade e (por que não?) o absurdo do acontecimento, transformando o campo de batalha numa réplica estilizada e colorida (bem ao clima da série) do que seria o ambiente inóspito de uma guerra de verdade.

.

OUTSTANDING WRITING FOR A COMEDY SERIES
Community • “Modern Warfare” • Emily Cutler

Repito a honraria ao episódio “Modern Warfare”. Emily Cutler, uma das roteiristas mais requisitadas de “Community”, soube distribuir a ação e caprichou nos diálogos, que tiraram sarro dos clichês dramatúrgicos. Certamente, o Melhor Roteiro em Comédia do ano!

.

Pois é. Que venha a temporada 2010/2011!

Categorias:Premiações, TV
  1. 20 setembro 2010 às 11:57 pm

    Se dependesse de mim, dava “Modern Family” em todas as categorias possíveis!🙂

  2. 21 setembro 2010 às 3:05 am

    eu gosto muito da Jane Lynch. assisti àquele “Role Models”, com o Paul Rudd, e adorei a participação dela. aliás, adorei esse filme; peguei achando que seria um besteirol daqueles e, no fim, é um filme fofo demais. Paul Rudd = amor.
    Jane = amor meio maluco.

    odeio o Sheldon.
    beeeijo

    • 21 setembro 2010 às 4:19 am

      Ka, mas é que você fechou seu coraçãozinho pra muitas séries. Tenho certeza que apoiaria minha decisão se visse Community!🙂

      Quéroul, Jane Lynch é RAINHA, e Sheldon, se não é um gosto adquirido, ao menos torna minhas noites mais alegres! Beijo!

  3. 21 setembro 2010 às 5:12 pm

    Ótimas escolhas, devo dizer. Tirando as séries que você não viu e eu vi (Parks and Recreation e Curb your Enthusiasm, eu acho), só trocaria o Jim Parsons.

    • 22 setembro 2010 às 2:20 am

      L. Vinícius, já pensei em começar Parks (a partir da segunda temporada, aonde me garantem que a série tem um salto criativo), mas tenho bode de Larry David e dispenso Curb. E não troco o Jim por nada! HAHAHA

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: