Início > Cinema, Música > 500 Days of Joseph Gordon-Levitt

500 Days of Joseph Gordon-Levitt

Tinha assistido a “(500) Dias Com Ela” na Mostra de Cinema de São Paulo do ano passado, e considerado uma comédia romântica simpática e criativa. Não entendia as manifestações inflamadas de seus principais admiradores, mas entendia o apelo do filme, e porque tanta gente conseguia se identificar com a história. Afinal, este era o relato de uma situação trivial: um relacionamento com começo, meio e fim, com os percalços de sempre. Ou seja, o início do namoro às mil maravilhas, a relutância de uma das partes em assumir compromisso, o amor que se manifesta em um com maior intensidade que no outro, e a fossa aparentemente incurável provocada pelo rompimento. O diretor Marc Webb, veterano dos videoclipes, conduzia tudo com engenhosidade e desvelo – a montagem não-linear fica avançando e retrocedendo pelos dias até completar os 500 do título. E a trilha era uma charme à parte (o filme é daqueles que necessita de uma canção que sirva como pausa para respiração). Ao revê-lo em DVD, o que mais me chamou atenção, porém, foi a atuação de Joseph Gordon-Levitt. Começo a desconfiar que o subestimei no passado. Ele já tinha dado provas irrecusáveis de talento com o pesado “Mistérios da Carne”, e neste filme, no papel do romântico incurável Tom, brilha e encanta. Talvez fosse até caso de ser indicado ao Oscar. Deixo aqui um clipe que encontrei, dirigido pelo próprio Webb e protagonizado por Gordon-Levitt e Zooey Deschanel. Adorável, super no clima do longa. E mais um motivo para aplaudi-lo de pé.

.:. 500 Dias Com Ela (500 Days of Summer, 2009, dirigido por Marc Webb). Cotação: A-

Categorias:Cinema, Música
  1. 17 agosto 2010 às 12:09 am

    O Joseph Gordon-Levitt é um grande ator. Curioso que, quando eu o assistia na época de “Third Rock from the Sun”, nunca imaginei que ele fosse progredir tanto na carreira. srsrsrrsr

    Beijo!

  2. 17 agosto 2010 às 12:15 am

    Amo ele, amo esse filme, amo você. Keeping the foco.

  3. 17 agosto 2010 às 12:19 am

    eu amo desde que ele era molequinho, ali no 3rd rock que a Kamila comentou acima. e em Mistérios da Carne ele tá uma coisa tão incrível, que eu não sei como não tem estátuas dele espalhadas pela cidade. hehehe.

    adoro o guri. quero vê-lo no Inception, tão falando bem dele lá tb. e como vc quase não viu esse filme, vou nem confirmar contigo. : P
    =*

    • 17 agosto 2010 às 3:03 am

      Ka, não via 30rd Rock from the Sun, mas é mesmo muito raro um ator mirim da TV evoluir tanto na carreira depois de adulto! Mas ele pode, né???🙂 Beijo.

      Rafa, AMO-TE. Foco aqui!

      Quéroul, JGL é vida. Inception é vida. Raciocínio muito simples!!!😉 Beijo.

  4. Lucas Alves
    17 agosto 2010 às 4:43 am

    Oi Louis!!!

    Eu também preciso rever 500 Dias c/ Ela, mas por outro motivo. Vi no começo do ano e odiei devido a tradução cretina nas legendas da versão que assisti. Não tenho fluência em inglês, porém, dava p/ perceber que a tradução estava errada por causa dos verbos mal conjugados, das frases sem sentidos, das palavras em inglês perdidas no meio do texto… Sabe aquelas legendas de sitcoms matinais da Sony? No meio do filme eu estava de má vontade p/ continuar assistindo… Já aconteceu contigo?

    Mudando de assunto: finalmente consegui um tempinho p/ assistir Greek. Só me animei p/ ver essa série por causa dos seus posts. Sim, vc me convenceu a baixar Greek. Bem… não é o meu tipo de série, mas mesmo assim eu gostei.

    O post sobre a sua viagem a NY ficou muito legal. Fiquei imaginando os lugares e as situações – a igreja no Harlem, o calor no verão nova-iorquino, a loja da NBC, os cupcakes da Magnolia Bakery, Billy Elliot na Broadway… Viagem dos sonhos.

    Sobre Mad Men e True Blood: ainda não vi os episódios exibidos no último domingo lá nos States, mas estou acompanhando as temporadas atuais de ambas. P/ mim, Mad Men está ótima. Mesmo assim, não sei se esta quarta temporada será tão brilhante quanto a terceira. De qualquer forma, a season 4 nem chegou a metade e muita água ainda pode rolar. Já True Blood descarrilhou… Continuo gostando da série, mas esta terceira temporada está deixando a desejar em relação as duas primeiras. Torço p/ que pelo menos os episódios finais entreguem um desfecho bacana.

    Weeds: sinto muuuuuuuuuuuuita falta do que era Weeds… Amava a crítica escrachada das primeiras temporadas. Mas já deu p/ perceber que aquela Weeds não volta. E fico aborrecido c/ a saída de Perkins, porque Celia era a minha personagem favorita e salvou a série em vários episódios. Mesmo assim pretendo acompanhar esta sexta temporada, pois, mesmo Weeds não sendo o que era, ainda diverte.

    Abraços!

    • 18 agosto 2010 às 11:48 am

      Oi Lucas!!!

      Que bode desse povo que não faz legenda direito… Já aconteceu comigo sim, e mesmo hoje, tendo fluência no inglês, fico tão irritado com essas legendas zuadas que nem consigo prestar atenção direito no filme… Veja 500 Days em boa qualidade da próxima vez!

      Que bonitinho, você vendo Greek rsrs… Amo muito aquela série, mas saiba que ela cresce bastante com o tempo, e que alguns personagens realmente cativam. Espero que você tenha a chance de ir pra Nova York muito em breve – vai aproveitar MUITO!

      True Blood é mais fácil de apreciar que Mad Men, que precisa ser encarada dentro de um conceito e ficar muito atento no desenvolvimento dos personagens, ou como eles evoluíram das temporadas passadas para esta. Acho que True Blood, mesmo sendo mais irregular, está se encontrando depois de uma primeira metade de temporada discutível. E realmente, Weeds tem que provar logo que não está de besteira nessa nova temporada.

      Abs!

  5. Lucy
    18 agosto 2010 às 4:12 pm

    (500) Days é um dos meus filmes favoritos… Vi na Mostra, vi no cinema depois, baixei e assim que saiu o DVD eu comprei. Adoro histórias que não são contadas de forma linear, adoro o Webb e adoro a Zooey, então não tinha como não me apaixonar. O JGL foi um bônus no filme pra mim… =-)

    Esse clipe é uma graça! Vc conhece a história dele? A Zooey ficou sabendo que, num dos dias de folga dele, eles tinham gravado aquela sequência do filme em que o Tom, feliz por ter passado a primeira noite com a Summer, dança pelas ruas, sabe? Parece que ela ficou chateada, pq ela é meio louca e adoora esse tipo de coisa, então combinou com o Webb de fazer esse clipe, com o JGL, pra ela ter a oportunidade de usar seu lado “louco”… E, claro, a gente agradece, né?

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: