Início > Cinema, Top 10 > Top 11: Pixar

Top 11: Pixar

Com a estreia de “Toy Story 3”, a Pixar comemora o maior desempenho de um dos seus filmes nas bilheterias (foram mais de 100 milhões arrecados só nos Estados Unidos durante os três primeiros dias de exibição). Completa, também, a marca de onze longas-metragens produzidos, sendo que nenhum estaciona em algo abaixo de mediano. Pelo contrário: são filmes bons, ótimos ou excelentes, e organizá-los numa lista como fiz abaixo – mencionados do pior para o melhor – se provou um desafio de proporções épicas. São todos tão bonitos e tão acima do padrão das fitas americanas que é difícil comparar e escolher o mais especial. Correndo o risco de parecer injusto, aí está o top 11 do “Letters from Louis” com todas as animações da Pixar:

.

11. Carros

O mais inferior do estúdio, “Carros” tem uma trama plana e gasta, com o diferencial de que os seus personagens são automóveis humanizados. O maior problema nem é a previsibilidade do roteiro, e sim as lições óbvias que nada tem a ver com o caráter da Pixar. Os demais filmes do estúdio costumam expor seu ponto de vista com sutileza, sem entregar morais mastigadas ou dar a impressão de que querem ensinar alguma coisa ao público. Apesar dos personagens serem muito bem desenhados, o filme não empolga por completo.

.

10. Vida de Inseto

Assisti quando era pequeno e obviamente adorei, mas encarando o filme com mais maturidade, e colocando-o frente aos outros da Pixar, dá para perceber que faltam requintes nessa história do formigueiro ameaçado por uma gangue de gafanhotos. Os insetos circenses que chegam para ajudar as formigas geram os momentos mais inspirados.

.

9. Wall.E

O primeiro ato de “Wall.E” dispensa qualquer diálogo para introduzir os espectadores a um devastado planeta Terra e ao robozinho incumbido da tarefa de coletar o lixo que se empilha ao tamanho de edifícios. Um pouco da magia se esvai quando o destino da raça humana é finalmente revelado, mas nada que comprometa a grandiosidade da empreitada e a nossa capacidade de admirá-la.

.

8. Toy Story 2

Continuação que foi inicialmente planejada para home video, mas lançada nos cinemas com imenso sucesso. Feito com o mesmo capricho do anterior, “Toy Story 2” se destaca pelo bom aproveitamento dos personagens originais e ainda pelas ótimas adesões. A sequência em que a boneca Jessie recorda ter sido abandonada ao som de Sarah McLachlan se manteve por muito tempo como a mais emotiva da Pixar.

.

7. Procurando Nemo

Pode parecer estranho encontrar “Procurando Nemo” tão acima nesta lista, já que conta com uma das melhores criações do estúdio – a peixe desmemoriada Dory – e com grandes momentos de comédia. Mas perto da competição, há de se reconhecer que a fita, apesar de abarrotada de coadjuvantes pitorescos, tem problemas mínimos em sua estrutura (a ação no oceano é intercalada com a ação dentro do aquário sem muito balanceamento). Ainda assim, foi um dos mais notáveis exemplares daquele ano.

.

6. Monstros S.A.

Talvez o plot mais criativo da Pixar, “Monstros S.A.” gira em torno dos monstros que saem dos armários das crianças na calada da noite. Na verdade esses monstros são funcionários de uma fábrica que converte os gritos das crianças humanas em energia. E o medo é recíproco – eles também ficam apavorados ao encarar os pequenos. O trio formado pelo gigante Sully, pelo baixinho em forma de olho Mike Wasowski, e pela garotinha Boo é um dos mais queridos do Cinema.

.

5. Toy Story 3

Revi na noite passada, desta vez em sessão legendada, e reitero os elogios que fiz na Sexta-feira. Um desfecho perfeito para a trilogia, com timing cômico impecável e animação de encher os olhos (todos os personagens, mesmo aqueles que faziam parte dos capítulos anteriores, foram redesenhados do zero). Reforço, também, que o curta exibido antes do filme – “Dia & Noite” – é extraordinário.

.

4. Os Incríveis

Um dos melhores filmes de super-herói já feitos, “Os Incríveis” foi o primeiro longa da Pixar protagonizado por humanos. Seu ponto de partida não é lá muito original: heróis são forçados a reprimir seus poderes e a viver como cidadãos comuns devido a uma burocracia do governo. A execução, no entanto, é perfeita, com ação e comédia bem equilibrados, e o bônus de uma coadjuvante hilária – a estilista Edna Moda, dublada pelo próprio diretor Brad Bird.

.

3. Up: Altas Aventuras

Foi ousado terem colocado um velhinho no papel principal de um filme infantil, mas acho que ousadia é servida no café da manhã dos artistas da Pixar. “Up” tem tanto a dizer aos adultos quanto às crianças, numa brilhante e melancólica história sobre valorizar os pequenos momentos da vida. Há duas sequências antológicas: uma logo no comecinho, quando resumem em poucos minutos uma vida inteira de casados, e outra mais para o final, quando o protagonista encontra um álbum de fotografias montado pela esposa que faleceu.

.

2. Toy Story

O primeiro longa-metragem em animação computadorizada sobrevive aos quinze anos de seu lançamento. Por mais que a tecnologia tenha avançado desde então, “Toy Story” está longe de ficar obsoleto. Não tem as riquezas de detalhes dos longas mais recentes da Pixar, mas deslumbra pelo tanto que foi feito para as condições de sua época, e pelo roteiro que, repleto de boas sacadas, acerta quando se volta para a imaginação de uma criança frente aos seus brinquedos.

.

1. Ratatouille

Só mesmo a Pixar para nos fazer aturar ver um rato na cozinha! No mais bem acabado de seus longas, um desastrado faxineiro é promovido à categoria de um dos melhores chefs da França – tudo graças a um rato de bueiro que, com seu verdadeiro faro para a arte de cozinhar, o instrui na elaboração das melhores receitas. O ato final, com a avaliação sincera de um crítico gastronômino intransigente, é possivelmente o maior triunfo do estúdio. Ele diz que uma obra, seja ela qual for, estará sempre acima do que possa ser dito sobre ela. No caso de “Ratatouille”, o que pode ser dito é “genial”.

.

Agora é sua vez. Diga como ficaria o seu ranking.

Categorias:Cinema, Top 10
  1. 21 junho 2010 às 12:18 am

    Eu não assisti Carros, Up e Toy Story 3… mas muito concordo com Ratatouille em primeiro. eu acho que nunca chorei tanto como naquela cena em que o crítico come a ratatouille e toda sua infância vem à tona.
    coisa mais linda!

    e Os Incríveis é demais. assim como Monstros S.A., acho que um dos ‘desenhos’ que eu mais gosto da lista toda. Ah, e eu gosto do Nemo também🙂

  2. 21 junho 2010 às 5:25 pm

    Ratatouille é o melhor mesmo, e Wall-E estaria bem melhor posicionado na minha lista, e Up algumas posições abaixo. Mas o estranho é que mesmo com vários filmes infantis maravilhosos atualmente, nenhum deles conseguem desbancar meus favoritos desde sempre: “Fantasia”, “Alladin”, “Dumbo”, “A Dama e o Vagabundo” e “O Rei Leão”. Eu gostaria que a Pixar fizesse um filme um pouco mais ingênuo como os clássicos que eu citei acima.

  3. 21 junho 2010 às 7:45 pm

    Minha lista seria assim:

    – Toy Story / Toy Story 2: já dei mais de uma chance para eles, mas não dá, eu não gosto e pronto.
    – Carros: fraco. Mas acho que no 2 a Pixar se redime!
    – Os Incríveis: não sei porque, mas não me agrada.
    – Vida de Inseto: eu gosto e já vi muitas vezes, mas a Pixar fez melhores depois dele.
    – Ratatouille: não gostei quando vi no cinema, senti que eles surgiram com um “quarto ato” no final do filme e isso me irritou. Depois vi de novo e gostei. Depois vi de novo.
    – Monstros S.A.: Boo!🙂
    – Procurando Nemo: A cena mais pro final, quando o pai do Nemo grita pros peixes “Nadem para baixo!”, me dá calafrios só de lembrar. E claro, todo o restante é ótimo.
    – Toy Story 3: Achei fraco o conflito inicial, mas depois o filme montou direitinho uma bela de uma história e arrebentou.
    – Up: A cena dos balões, quando o Carl faz a casa decolar, me dá calafrios e traz lágrimas aos olhos. Só exagera no desrespeito às leis da física, mas enfim, uma criança de verdade não notaria.🙂
    – Wall-E: ao contrário de muitos, eu não achei ruim quando a história começou de fato – quando saímos da Terra abandonada e chegamos à Axiom. Pelo contrário, achei o máximo! Fora que a Pixar me fez querer abraçar um robô, então Wall-E ganha.

    • 22 junho 2010 às 12:03 am

      Quéroul, essa cena do ratatouille sendo servido, e de tudo o que se dá depois disso, foi uma das mais belas que eu já vi. Choro bicas!!! E você não perdeu nada ao esnobar Carros, mas merece conferir Up e Toy Story 3 (este último nos cinemas, de preferência). Beijo!

      L. Vinícius, não sei quanto a isso. Sei que esses desenhos tradicionais também são mágicos, e ainda favorecidos por uma nostalgia quase dolorida. Mas tem certos truques da velha Disney que comprovam como o estúdio se acomodava nas mesmas ideias recicladas. Acho que a Pixar ousa muito mais, o que faz a diferença.

      Felipe, por mais que eu não entenda sua aversão aos dois primeiros Toy Story, fico feliz de ver o terceiro filme e Up tão bem posicionados. E concordo contigo que Ratatouille é um filme que melhora a cada revisitada. Lá pela quarta vez, passei a achá-lo excepcional e não abro mão! o/

  4. 22 junho 2010 às 12:14 am

    a lista ficou bem feitaq cara, eu não tenho coragem de fazer um ranking, mas concordo com o prmeiro lugar, mesmo Toy Story sendo o meu filme da Pixar favorito e o que com certeza tem mais peso na história do cinema, Ratatouille é o filme mais perfeito e mais bem realizado em várias camadas do estúdio, digo sem medo nenhum que e um filme pra ser estudado, principalmente pelo seu roteiro tininte.

    ah, também concordo sem duvida nenhuma com o último colodado, Cars é o filme menos criativo da Pixar, mas ainda assim é um bom filme, com bons personagens, boas cenas de corrida e, principalmente, com boa atmosfera.

    e Felipe, tudo em UP desafia alguma lei, seja cachorros com coleiras que falam, balões que levitam casas, velhos com força o suficiente pra carregar casas ou lutar em cima de dirigíveis e etc.. e não há nada de mal nisso.

  5. Gustavo Naspolini
    22 junho 2010 às 1:11 am

    Adoro listas como esta e parabenizo, mas a minha lista de melhores da Pixar é bem diferente. Os Incríveis e Monstros S.A., que tão bem colocados na tua, ficam bem em baixo na minha. Vai lá, do melhor para o pior:

    1. Procurando Nemo: Não é tão profundo quanto o começo de Up ou Wall-E, mas sei lá porque me identifiquei com os personagens. Muito bem desenhados, construídos e atuados. E a história é tão legal, tão divertida!
    2. Wall-E: Tem uma das primeiras meia horas mais interessantes e arrebatadoras de um filme, mesmo sem uma fala. Lindíssimo filme, mesmo decaindo na metade final (assim como Up).
    3. Toy Story: Esse filme faz tão parte da minha infância que seria um sacrilégio deixá-lo numa posição inferior. Personagens adoráveis, história com muita aventura e conteúdo.
    4. Up: Critiquei muito o filme depois que assisti pela primeira vez pelo simples fato de abandonar um início perfeito, delicado e profundo para armar uma aventura boba e com um vilão tosco. Mas os elogios superam as críticas.
    5. Ratatouille: Que filme charmoso, bem orquestrado, com um belo visual e trilha adorável!
    6. Toy Story 2: Mantém o nível do primeiro, é uma boa sequência. Só por trazer mais aventuras com os personagens bacanérrimos do primeiro filme há vale a pena.
    7. Monstros S.A: A história é boa e os personagens principais carismáticos, mas falta neste filme o que mais me encanta nos demais: deslumbre visual. Porém, ainda é um grande filme.
    8. Os Incríveis: Muito me divertiu na primeira vez, mas a segunda já foi bem enfadonha. Parece que este filme não tem nada a mais para oferecer que o entretenimento imediato da primeira assistida. Pode ser birra pessoal mesmo…
    9. Vida de Inseto: Adorei quando criança, mas hoje vejo que é bem inferior aos outros da Pixar.
    10. Carros: Chatola e vazio, mas o deslumber visual é visível.

    Ainda não assisti a Toy Story 3, mas tô com altas expectativas! Espero que entre no top5!
    Abraço, Louis!

    • 22 junho 2010 às 2:29 am

      Jonathan, não é sempre que concordamos, mas acho que quando se diz respeito a Pixar, temos pontos de vista parecidos. Carros na lanterna, Ratatouille em primeiro: fechou!🙂

      Gustavo, mesmo discordando das suas posições, achei suas observações pertinentes. Só que comigo foi ao contrário, por exemplo, com Os Incríveis. Já tinha achado muito legal assim que assisti pela primeira vez, mas revendo de novo e de novo fui percebendo como tudo é bem planejado, e como o alcance do filme é grande (passa de uma sátira do american way of life pra uma aventura bem coreografada, e faz uma análise da necessidade das pessoas por serem especiais, da obsessão pela celebridade etc). E acho Monstros S.A. deslumbrante para as suas condições. Os pelos do Sullivan, por exemplo, representaram muita pesquisa e trabalho dos artistas (não se faziam pelos com a mesma fluidez e movimento). Abraço e volte sempre!😉

  6. Elena
    23 junho 2010 às 4:38 am

    Wall-E em nono?! Blasfêmia.

    • 23 junho 2010 às 6:16 am

      Elena, não posso fazer nada se a competição era igualmente excepcional!

  7. Letícia Bispo
    25 junho 2010 às 9:37 pm

    Gostei muito da sua lista, mas meu preferido é Up, apesar de reconhecer que Ratatouille se supera a cada segundo do filme. E é justamente por causa daquela cena que conta toda a história do casal até a velhice e morte da Ellie. Assisti no cinema, e quando ela terminou, eu simplesmente me senti grata por existir cinema🙂 Só aquela cena já era um pequeno filme, e comentei com a minha tia ao lado que só ela já tinha valido o filme! Mas eis que ele continua com cheio de sensibilidade, e o Dug é impagável, e… se eu continuar falando vou encher o saco. No fim, apesar de ter gostado muito de Ratatoille também, em especial a cena em que o crítico prova o prato do ratinho, fico com Up🙂

    • 28 junho 2010 às 8:35 am

      Letícia, eu entendo o seu amor por Up. Aliás, esse foi o primeiro filme que me fez chorar nos seus primeiros dez minutos (o segundo foi Toy Story 3, que me fez lacrimejar com a sequência do Andy crescendo). A cena da vida de casados de Up é sensacional – condensa em pouquíssimo tempo o que muitos filmes inteiros não conseguem dizer. Também é linda a cena em que o Carl encontra as fotografias que a esposa montou para ele.🙂

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: