Início > Cinema > Kick-Ass, ou o filme mais legal de todos os tempos

Kick-Ass, ou o filme mais legal de todos os tempos

“Kick-Ass – Quebrando Tudo” deve ser o melhor filme a estrear no Brasil em 2010. Possivelmente também é o melhor filme de super-heróis já produzido. E quem sabe ainda também seja o filme mais cool que você verá na vida. É uma pena que não exista no português uma tradução adequada para “cool”. Legal ou descolado são opções plausíveis, mas não transmitem a irreverência da palavra em língua inglesa, que condensa com perfeição o espírito deste filme. Só o que pode ser confirmado é que “Kick-Ass” tem a chancela de um produto pop que todo e qualquer fã de quadrinhos deverá consumir. Isso porque, tanto nos quadrinhos que inspiraram o longa, publicados há dois anos nos Estados Unidos, quanto nesta adaptação, o que motiva a ação não é algum acidente radiativo que confere poderes especiais a um rapaz qualquer, ou mesmo a sede de vingança motivada pelo assassinato de um ente querido. Quase nada no arco narrativo de “Kick-Ass” serve como catarse.

O herói é o adolescente Dave (Aaron Johnson), um garoto comum, sem nada de favorável ou desfavorável. Nada em sua existência indicaria as pretensões daquele menino em defender os fracos e oprimidos. Apenas a sua admiração por histórias em quadrinhos o faz se perguntar porque, na vida real, não podem existir super-heróis nobres e destemidos – uma vez que os bandidos não existem somente na ficção. Disfarçado com uma fantasia verde que comprou pela internet, Dave cria o alter Kick-Ass e passa a perambular pelos becos de Nova York, procurando por criminosos para derrotar. Sua preparação física foi mínima, quase amadora. E obviamente, seu primeiro confronto com dois assaltantes acabará drasticamente mal. Depois de ter sido esfaqueado e atropelado, o garoto passa por cirurgias que substituem parte de seus ossos por placas de titânio. Torna-se, com isso, muito mais tolerante à dor do que as outras pessoas, e pode prosseguir com suas tentativas de se tornar um super-herói do mundo real.

Seu segundo confronto corre um pouco melhor – e por acaso, alguém que estava testemunhando a briga filmou o acontecimento pelo celular e jogou o vídeo no YouTube. Kick-Ass logo se transforma numa febre nacional instantânea, e caberá a Dave lidar com a celebridade que acompanha todos os grandes super-heróis. O mais bacana é que, enquanto ele passa a vivenciar os conflitos que só tinha presenciado em filmes do “Homem-Aranha”, também conserva hábitos e comportamentos típicos de sua idade (como se masturbar diante do computador, estabelecer diálogos nerds e auto-referenciados com os amigos, e desejar uma garota que parece inalcançável para suas condições). Entrementes, virá a descobrir, também, que não é o único “super-herói do mundo real” na ativa. Muito antes dele, um pai e sua filhinha (Nicolas Cage e a revelação Chloë Grace Moretz), amparados por um treinamento muito mais pesado e intensivo, já saíam pela noite caçando e assassinando traficantes. O plano dos dois envolve eliminar os peixes menores até chegar ao topo da hierarquia, o líder do tráfico interpretado por Mark Strong (cujo filho atrapalhado e ambicioso – Christopher Mintz-Plasse, o McLovin’ de “Superbad” – desempenhará um papel importante no decorrer da história).

Não demora muito para o caminho do Kick-Ass cruzar com o desses outros justiceiros. É aí que a trama realmente engata, e passa de uma simples paródia às fitas de herói para um filme auto-suficiente, até mesmo forte e violento. Da metade para o final, as cenas de comédia se casam com as cenas de ação com um sucesso que, francamente, não me lembro de ter visto em nenhum outro lugar. É impressionante como o diretor inglês Matthew Vaughn conseguiu equilibrar todas as linhas narrativas e explorar todos os enredos em seu potencial completo. Não há uma deixa para piada que não seja aproveitada. Não há um momento mais tocante que careça de carinho e desvelo. E não há uma única cena de confronto que pudesse ser mais empolgante ou estilizada (a combinação música e montagem frenética é outra que se assenta muito bem). Até onde eu consigo perceber, “Kick-Ass” é um filme perfeito, que vai se comunicar com o público-alvo como nenhum longa de super-herói pretensioso e inflado da Marvel conseguiu.

Aliás, se uma crítica pode ser feita, seria direcionada ao protagonista Aaron Johnson. Ele deu o que falar por, aos dezenove anos, ter engravidado a diretora de “Nowhere Boy”, filme em que trabalhou anteriormente (detalhe: a mulher tem quarenta e três anos)! Mas não sei se por seus talentos interpretativos Aaron chegaria a virar notícia. Ele parece esforçado, mas não tem carisma para segurar a projeção, e mais do que frequentemente, se apoia nos hilários coadjuvantes que lhe fazem companhia. Quando divide a cena com o eterno McLovin’, por exemplo, fica tantos degraus abaixo com seu timing cômico que chega a ser constrangedor. Se mesmo com um ator principal irregular, “Kick-Ass” atingiu essa voltagem expressiva, imagine como ficaria com uma substituição adequada?

.:. Kick-Ass – Quebrando Tudo (Kick-Ass, 2010, dirigido por Matthew Vaughn). Cotação: A+

Categorias:Cinema
  1. 13 junho 2010 às 3:50 pm

    Aff, aqui nos cines brazucas, estão enrolando muito a estréia desse filme. PArece ser muito jóia. abraço, Louis🙂

  2. 13 junho 2010 às 4:41 pm

    Legal Luís! o filme é muito bom mesmo, não achei que vc fosse gostar tanto. Ja chegou a ver a hq original? Gostei muito que vc falou da trilha sonora tb. Sem dúvida uma das melhores. Caso se interesse a maioria das músicas são da banda Prodigy> http://www.youtube.com/watch?v=71wRbLucnMk

    abs!

  3. Tiago Stabile
    13 junho 2010 às 5:13 pm

    Você recomendou eu to baixando já aque o cinema aqui do interioR é foda ahaah

    • 13 junho 2010 às 6:04 pm

      Jeniss, o filme já está em exibição em sistema de pré-estreias e entra em cartaz oficialmente a partir de Sexta-feira, dia 18. O problema é que, ao que tudo indica, ficará no eixo Rio-SP!😦 Abraço!

      Nute, que prazer encontrar um comentário seu aqui no blog!🙂 Não sabia que já tinha assistido… Eu não tive contato com a HQ, mas vou muito correr atrás agora. E valeu pela informação sobre a banda. Vou procurar a trilha por completo! Abração e volte sempre.

      Tiago, acho digno. Dá pra baixar esse filme em excelente qualidade e não ficar dependendo da boa vontade da distribuidora. Depois passe para deixar suas impressões!

  4. Bárbara :)
    13 junho 2010 às 6:50 pm

    Estou louca pra ver!

  5. 13 junho 2010 às 7:33 pm

    Eu assisti ao trailer deste filme, recentemente, e achei muito legal! Espero que, quando eu assistir “Kick Ass”, goste tanto quanto você. Beijo!

  6. 13 junho 2010 às 8:03 pm

    Ainda assim não boto fé nesse filme. Só conferirei no cine se todo mundo disser que é ótimo… espero que não digam! heheeh

    • 14 junho 2010 às 12:47 am

      Bárbara, pois saiba que o filme vai suprir suas expectativas!

      Ka, se eu bem te conheço, você vai adorar o filme! Beijo.

      Robson, mas TODO MUNDO já está dizendo que é ótimo rsrs… Veja a cotação do filme no IMDb – super expressiva!

  7. 14 junho 2010 às 3:32 am

    Adorei seu post. Agora estou com muita vontade de ver.

  8. 14 junho 2010 às 5:00 am

    nem sei quando vai estreiar, se é que ja estreiou, vou correr atras. eu li a HQ(que teve um volume de 6 edições) e as 3 primeiras edições são sensacionais, depois achei que ficou sem graça, mas parece que no filme melhoraram muito a história.

    • 14 junho 2010 às 5:20 pm

      Mark, você é de São Paulo e não precisa baixar. Vá conferir no cinema mais próximo a você a partir desta Sexta!

      Jonathan, quanto a isso ainda não sei dizer, mas quero muito botar a mão nessas HQ’s!

  9. 15 junho 2010 às 1:28 am

    Volto dim, claro! e com frequencia! afinal, seu blog esta entre favoritos no meu blog:

    http://acefacedesign.blogspot.com/

    abs forte!

    • 15 junho 2010 às 10:24 pm

      Bem lembrado. Vou aproveitar pra relacionar seu blog ao meu!!🙂 Abraço!

  10. 18 junho 2010 às 2:28 am

    Acabei de ver o filme e tive que passar aqui. Olha, não sei se é O filme mais cool de todos os tempos, mas chega perto.

    Aproveitei cada segundo dessa experiência, realmente não consigo pensar em nada que saiu errado aqui.

    O que mais ficou marcado para mim foi as cenas de ação brilhantemente filmadas, sempre com uma trilha sonora para deixar a situação mais tensa ainda.

    EXCELENTE.

    • 18 junho 2010 às 6:04 am

      Bruno, concordo. Vi Kick-Ass por uma segunda vez e reitero cada palavra do meu texto acima! o/

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: