Início > Cinema > A nova Hora do Pesadelo

A nova Hora do Pesadelo

A franquia “A Hora do Pesadelo” rendeu alguns capítulos inofensivos e outros com passagens simplesmente antológicas, que justificam porque a saga se tornou uma referência no gênero terror adolescente. O vilão Freddie Kruger, um sujeito de rosto desfigurado com lâminas no lugar de garras, ataca os mocinhos durante os seus pesadelos, e todos os danos que causa a eles são trazidos para a realidade: se eles forem assassinados nos sonhos, também o serão na vida real. Para despistar o psicopata, os heróis tentam se privar de sono enquanto buscam uma maneira de derrotá-lo – mas essa falta de sono pode ser ainda mais prejudicial, já que possibilita que tenham alucinações com o assassino.

Este novo “A Hora do Pesadelo” em cartaz nos nossos cinemas não se trata de um volume fresco, e sim da refilmagem do primeiro deles. O roteiro segue escrupulosamente as convenções da primeira parte, incluindo algumas referências que os fãs vão captar de imediato (mesmo que as jogue de qualquer jeito numa trama com muitos furos e nenhuma coesão). A verdade é que nunca achei a saga particularmente assustadora. Tem alguns sustos bem distribuídos, mas nada que me impressione a ponto de ficar retornando para mim durante à noite, quando estou prestes a dormir (como deve fazer um bom filme de terror). Por isso mesmo prefiro quando os filmes não se levam à sério, esbanjando no absurdo e na inventividade das mortes, e focando no potencial cômico do próprio conceito. Quando tentam firmar o clima tenso e aterrador, como fazem aqui, quebram a cara. São poucos os sustos provocados, e o público consegue antever boa parte deles: sempre seguindo um longo silêncio, Freddie vai aparecer de supetão ao lado dos mocinhos, acompanhado por uma batida lancinante da trilha. O truque pode enganar quando utilizado pela primeira vez, mas se torna cansativo e previsível lá pela décima segunda.

Como a versão representaria o início de tudo, acompanhamos aqui como Freddie se tornou o que é. Os flashbacks explicativos dão a oportunidade de reconhecermos o homem por baixo da maquiagem pesada – ninguém menos que Jackie Earle Haley, que ressurgiu como o vizinho pedófilo em “Pecados Íntimos” (pelo qual foi indicado ao Oscar) e que também marcou com “Watchmen” e “Ilha do Medo”. Jackie tem um tipo naturalmente sinistro, “creepy”, que funcionaria para compor um Freddie Kruger complexo e matizado se o roteiro desse oportunidades. Não é o caso, mas ele segura as pontas e não deixa lamentar a ausência de Robert Englund, ator que criou e acompanhou Kruger pelas continuações excessivas. Como são vários os perseguidos por Freddie, o roteiro demora para delimitar quem seriam os protagonistas, matando alguns personagens que vinham sendo enfatizados e que pareciam inatacáveis.

O filme dá margem para o gore, para o sangue que tanto faz a alegria da plateia que se simpatiza com o gênero. Mas se o propósito era apresentar a saga à uma nova geração, antes tivessem relançado o original numa versão caprichada em DVD e Blu-Ray. Os jovens de agora estariam melhor acompanhados. Tanto pelo longa – que tinha uma voltagem muito maior à princípio – quanto pelo elenco – aqui há um grupo de moleques inexpressivos, enquanto “A Hora do Pesadelo” original possui o crédito de ter revelado Johnny Depp, numa de suas primeiras chances no cinema. É indiferente ao público, mas a direção é de Samuel Bayer, vindo dos videoclipes, e a produção é bancada por Michael Bay. Wes Craven, idealizador desta franquia e também de “Pânico”, é creditado, mas não deve ter tido papel ativo. Se o teve, deixou muito a desejar.

.:. A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street, 2010, dirigido por Samuel Bayer). Cotação: D+

Categorias:Cinema
  1. markhewes
    13 maio 2010 às 8:12 pm

    Dicifilmente refilmagens dão certo né? De qualquer forma nunca fui fã do Kruger, prefiro Sexta-Feira 13.

  2. 13 maio 2010 às 10:46 pm

    tô no aguardo do dvd.
    pra falar a verdade, eu queria pegar toooodos os ‘A Hora do Pesadelo’ e rever. Freddie Krueger era meu malvadão preferido na adolescência.
    mas sinto que esqueci de tudo já.😛

    =**

    • 14 maio 2010 às 12:37 am

      Mark, difícil mesmo, mas essa nem foi feita com muita preocupação pra dar certo.

      Quéroul, também queria fazer uma maratona com os originais! Mas pularia essa refilmagem😉 Beijo

  3. 16 junho 2010 às 5:21 pm

    PARA MIM O FREDDY CRUEGER É O MELHOR VILÃO DE TODOS OS TEMPOS. JÁ QUE ESTÃO REGRAVANDO A SÉRIE A HORA DO PELADELO, ELES PODERIAM COLOCAR NO PRÓXIMO FILME COMO A HEROÍNA QUE IRÁ ENFRENTAR O FREDDY. ELE PODERIAM CHAMAR A ALCIA SILVERSTONE COMO A HEROÍNA DA HISTÓRIA.
    ABRAÇOS PARA OS PRODUTORES DO FILME.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: