Início > TV > Damages: Your Secrets Are Safe

Damages: Your Secrets Are Safe

A pedidos, vou falar um pouquinho sobre o season premiere de “Damages”. Já elogiei muito a série neste blog. Dou, ano após ano, o título de melhor atriz dramática da TV para Glenn Close, não tenho mais por onde enaltecer o trabalho dos roteiristas, e coloco as duas primeiras temporadas entre as melhores de todos os tempos. Isso que dá: uma trama jurídica sem os clichês dos programas de tribunais, mais focada na complexidade dos personagens e num enredo contínuo do que em tipos unidimensionais e em casos avulsos esquecíveis. O mais bacana é a narrativa, toda fragmentada, com saltos no tempo pra lá e pra cá, e uma imensidão de reviravoltas escondidas nas dobras. Vistas em sequência, as temporadas podem ser encaradas como filmes de mais de dez horas, daqueles finos, mas tensos, do tipo “piscou-perdeu”.

Dito isso tudo, preciso ser 100% imparcial e admitir que o primeiro episódio da season 3, exibido nessa Segunda pelo FX americano, foi bem morno para o que estamos acostumados. A trama da família corrupta e inescrupulosa (em que se incluem Campbell Scott como o filho e Lily Tomlin como a mãe) não parece assim tão promissora (e Martin Short talvez não tenha sido uma boa escolha para interpretar o advogado de defesa, já que ficou famoso como comediante, e sempre que olho para ele me vem à cabeça o “fado-padrinho” do filme “Um Passe de Mágica”). A montagem no comecinho, relembrando momentos memoráveis das temporadas anteriores, também ficou exagerada demais e estilosa de menos – até porque impede que mergulhemos na história e faz com que nos lembremos, através dos artifícios sensacionalistas, que estamos diante de um show de TV. E Glenn Close, tão querida e inatacável, passou da conta com suas expressões de “mestre dos magos” (sabe, aquela cara de “Você pensa que me engana, bobinho? Tô muito a frente de você!”). Patty Hewes é ídola, mas às vezes me enoja.

Mas como “Damages” nunca falha em instigar, não deu para ficar alheio aos cinquenta minutos de episódio. Apesar das irregularidades, deu para sentir que a temporada promete – e os flashs do futuro adiantam que virão por aí surpresas e mais surpresas, daquelas de deixar qualquer um passado em Cristo. Notem ainda que esses flashforwards estão cada vez mais frequentes. Só neste episódio vimos umas vinte vezes a vinheta anunciando “Seis meses depois” ou “Seis meses antes”. E nem há necessidade dos letreiros para que diferenciemos o presente do futuro (ou passado do presente): a fotografia fria e azulada dos meses posteriores já escancara a transição de tempo. Bobeou, produção. Também deslizaram com uns errinhos de continuidade, com o rosto de um ou de outro mudando abruptamente de posição durante as conversas. Nada imperdoável, todavia (ui). Em resumo, foi um season premiere decepcionante para o que a série costuma ser, mas um puta episódio perto de muita coisa por aí. Continuarei assistindo com afinco.

P.S.: A Ellen clareou o cabelo?

Categorias:TV
  1. 27 janeiro 2010 às 6:32 am

    Putz, com tanta série bacana por aí essa acabou nunca me chamando a atenção, apesar de tantos elogios… acho que estou perdendo algo interessante mesmo!!

    vou conferir!

    Abs.

  2. Alex Câmara
    27 janeiro 2010 às 9:23 am

    não vi ainda este primeiro episódio, me deixa triste saber que não foi tão bom.

    enfim, ótima série, decepção ver perder para Mad Men ano após ano.

    • 27 janeiro 2010 às 2:27 pm

      Bruno, então faça o favor de correr atrás. É imperdível!! Abs.

      Alex, não precisa ficar triste. Não foi um arraso, mas ainda assim foi interessante. E certamente vai melhorar ainda mais! Só que mesmo idolatrando, não acho tanta injustiça as derrotas que sofrem para Mad Men, que a sua maneira, também é brilhante.

  3. 27 janeiro 2010 às 4:08 pm

    A Ellen clareou o cabelo sim, ficou legal né? Então Louis, achei uma premiere fraquissima para Damages, mas realmente um puta episódio perto de outros episódios que vemos por ai. E tenho certeza que daqui pra frente tem chances de melhorar e muito, afinal ainda esta na 3ª temporada e uma série dessa não pode perder o brilhantismo tão cedo. Mas das duas últimas temporadas da série, a impecável pra mim foi a primeira, uma das melhores primeiras temporadas que já vi, se não a melhor.

  4. 27 janeiro 2010 às 6:39 pm

    Eu estou ansiosa pela volta de “Damages” no AXN! E fiquei feliz de saber que a Rose Byrne está de volta porque eu pensei que, na segunda temporada, a história dela meio que chegou numa conclusão, mas veremos o que os criativos roteiristas da série pretendem nos presentear. Beijo!

    • 27 janeiro 2010 às 6:51 pm

      Mark, ficou um luxo! Assim como você, achei decepcionante para uma premiere de Damages, mas não tenho dúvidas de que vai melhorar – até porque o desfecho que já conhecemos, com a morte de fulano, deve ser arrebatador. E não descarto a possibilidade de que essa seja a última temporada da série!

      Ka, quando retornar no AXN, venha comentar comigo!🙂 Byrne confirmou no Emmy do ano passado que estaria de volta, e parece que os roteiristas escondem muitos propósitos nesse retorno! Beijo.

  5. 27 janeiro 2010 às 9:13 pm

    Louis,

    Damages é foda, não? Louis, acabo de entrar nesse mundo dos blogueiros …
    Vamos ver no que dá, não? Vou adicionar você ao Blogroll, ok?

    Abraço, e estarei aqui sempre!

    • 28 janeiro 2010 às 12:09 am

      Jack, bota foda nisso!😉 Boa sorte nesse mundo dos blogueiros; fique a vontade para adicionar e para retornar sempre que der na telha! Assim que refazer os links atuais, incluirei o seu! Abraço.

  6. 28 janeiro 2010 às 11:29 am

    Cara, eu adorei esse e01. Acho que ele foi sucinto em deixar aquele gancho para TODA a temporada (ou você acha que o mendigo não tem nada haver com nada?! E o ‘corpo’! OMG!!!). Gostei bastante. Acho que o ínicio em sim (com aquele arquiteto falando com a Good-Patty fraco, é verdade, mas os minutos final – com uma pitada de ‘Lost’ e o caixão rsrs – foram ótimos. E Ellen TEM que voltar para ‘Hewes & Associates’ nada ver ela na promotoria. Enfim, eu gostei bastante e fiquei morto por ter que esperar até próxima semana para vê mais um fiozinho dessa história grande.

    • 28 janeiro 2010 às 11:56 am

      Luis, o episódio deixa os ganchos certos, mas tem, em si, algumas irregularidades – nada que nós, como admiradores incondicioais de Damages, não possamos abstrair.

  7. 28 janeiro 2010 às 6:00 pm

    Gostei bastante do episódio, mas o início com aqueles flash-backs que eu já tô careca de saber, e o fim com aqueles tiros fora de contexto destoaram do comum da série. Mas acho que o que eu menos gostei mesmo foi o Len Cariou ter umas 5 frases no máximo em 50 e poucos minutos.

    E o Uncle Junior entra na série no 6° episódio!

    • 28 janeiro 2010 às 6:19 pm

      L. Vinícius, concordo. E mais adiante temos que ter uma cena entre Cariou e Glenn Close! Vai ser super curioso, já que eles moraram juntos durante muitos anos.🙂 Espero com ansiedade pelo Uncle Junior tb.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: