Início > TV > Grey’s Anatomy, um adeus

Grey’s Anatomy, um adeus

Não é fácil abandonar uma série querida, mas as vezes é necessário. Quando um programa que começa muito bom vai descambando e se tornando meia-boca, podemos insistir pelos velhos tempos na esperança de que melhore, ou abandonar antes que as boas lembranças sejam substituídas por uma má impressão. Por respeito a “Grey’s Anatomy”, decidi que é isso que farei a partir de agora. Estou largando a série sem planos de retomar. Quem sabe um dia, se algum amigo em que confio muito me garantir de pés juntos que o nível está subindo, eu corra atrás do que perdi. Agora estou magoado demais para tentar uma aproximação. 

Pode parecer que quem causou essa insatisfação foi o péssimo episódio “Blink”, transmitido nos Estados Unidos nesta Quinta-feira. Quem acompanha o “Letters from Louis” há algum tempo, porém, sabe que minhas ressalvas vem de muito antes. Aquele episódio de Ação de Graças, o último a ser transmitido em 2009, já tinha me levado a estipular um limite: se a série não melhorasse em breve, abandonaria. Eu tentei, levei fé nesse recomeço, acreditei que viria coisa boa (mesmo depois de descobrir que o episódio envolveria outra ida da Addison para Seattle, ou seja, novo crossover com o pavoroso spin-off “Private Practice”). Esclarescendo antes que me xinguem: nada contra a Addison, de quem eu gostava muito durante as duas temporadas que esteve em “Grey’s”. Acontece que nessa série que ela protagoniza, ambientada em Los Angeles, a personagem não é mais a mesma. Se tornou uma bocó, passiva e atrapalhada (e também é rodeada por médicos muito menos interessantes que a galera original).  

Alguém se importa com essa menina e seu bebê?

Pois mal cheguei ao final de “Blink”. O episódio foi tão ruim, mas tão ruim, que senti vontade de chorar quando terminou. Podia ter gastado esses quarenta minutos lendo um livro, revendo algum capítulo espetacular de “Buffy”, adiantando uns textos pro blog. Mas não: passei assistindo o Mark Sloan se aproximando da recém-descoberta filha grávida, o Chief amaciando a Meredith para que ela não revele que ele voltou a beber, os médicos se comportando feito crianças de 12 anos ao procurar um partido para Bailey, e os residentes do Mercy West cada vez mais infiltrados entre a turma antiga. Um show de horrores, enfim. Os primeiros minutos, com a Lexie procurando um lugar para tomar banho, foram semelhantes a uma sitcom. Parecia “Friends”, onde eles também moravam separados por um corredor e entravam no apartamento alheio sem bater na porta. Juro que podia imaginar as risadinhas da plateia quando Lexie flagrou Callie e Arizona no chuveiro. São opções juvenis, frívolas e imaturas, que não dão liga num drama médico onde emoções mais sérias costumam ser priorizadas. 

Da mesma forma, nenhum dos casos do dia teve um pingo de verossimilhança. O atleta famoso que chega machucado foi uma das coisas mais preguiçosas que os roteiristas de “Grey’s” fizeram. E já apareceu muito paciente chato por lá, mas está para surgir uma mais insuportável que esta que a Cristina operou: a mulher ia colocar uma válvula no coração, e queria que as válvulas “falassem” com ela antes de tomar uma decisão! Isso vai além de ruim – é inassistível. Também tenho para mim que Izzie Stevens (atualmente afastada porque a atriz Katherine Heigl está gravando um filme) é um câncer para série. E um câncer em estado de metástase: ela arruinou a trama do George (e consequentemente, tirou o propósito da Callie existir na série), depois poluiu a quinta temporada com as alucinações de Denny Duquette, e agora estragou o Alex com sua partida súbita e forçada. Em outro movimento burro, os roteiristas inventaram de fazê-lo chorar as mágoas com a Lexie – ainda não rolou nada, mas o episódio termina com os dois cabisbaixos, se encontrando num quarto com uma garrafa de vinho. Faça as contas… 

Um horror, um horror. Mas nem consigo ter ódio. Tenho é pena, por um programa que já me deu tanto prazer ter chegado a esse ponto. Tenho, também, inveja daqueles que conseguem se contentar com esse resultado – e admiração pelos que admitem que está fraco, mas continuam dando chances. Queria ter mais força de vontade, mas meu instinto de sobrevivência está falando mais alto. Até segunda ordem, there’s no more “Grey’s Anatomy” for me! Quer me convencer do contrário ou me parabenizar pela atitude? Deixe um comentário!

Categorias:TV
  1. Caroline®
    16 janeiro 2010 às 12:45 am

    Comentei sobre isso no post anterior. Só me enganei em uma coisa: quando eu, fã incondicional de Grey’s, não entendo ou não sei se gosto de um episódio, é porque eu NÃO gostei. Um episódio bom invade a gente, toma conta de um jeito inconfundível. Quase me senti culpada por desejar que Addison atingisse uma artéria daquela filha insuportável e inoportuna do Mark, e acabasse com aquela ideia cagada. E achei patético quererem arrumar um homem pra Miranda, como se ela fosse uma qualquer, e não a Bailey! Foi como eu disse antes: eu não reconheci Grey’s ali, era qualquer coisa, menos Grey’s. Os únicos momentos em que tive um lampejo da minha série outrora favorita (The Good Wife me tomou de assalto; série boa, e sobre advogados, como eu) foram a Bailey mostrando quem é ela praquele pretendente bundão e a Cristina desesperada pela possibilidade de perder o que ela mais ama: a cirurgia cardíaca. Não por acaso, cenas com as melhores atrizes da série, Chandra e Sandra. Entendo sua decisão de largar. Também não estou muito animada…

  2. Nando
    16 janeiro 2010 às 12:54 am

    SE MATA!

  3. William
    16 janeiro 2010 às 12:55 am

    Não se sinta sozinho. A tempos eu e minha amiga (Sofia) já “previamos” esse desastre com a série?! personagens novos a cada episódio, roteiros totalmente PODRES, no caso sem Meredith e Izzie (Ambos personagens com maiores fãns e que levam a série em frente) a série está fraca. Ontem mesmo no Twitter estava comentando com o pessoal da Comu que com 15 minutos de episódio eu já não suportava mais! Também desisti da série! quem sabe Ano que vem possa recomeçar. Tenho pra min que essa tempoerada será igual a quinta temporada, com episódios “bons” somente no Season Finale. Desde o 6.01 temia por isso!

    Good Bye Grey’s Anatomy.

    • 16 janeiro 2010 às 12:59 am

      Caroline, pra você ver, nem da cena da Bailey eu gostei! Tinha achado tão infantil eles tentando arrumar um partido pra ela que achei o despejo de informações forçado demais. Só a música do final e a cena da Cristina salvaram do completo desastre, mas foram míseros segundos que não recompensam pela palhaçada predominante. E você TEM que continuar assistindo pra me avisar caso melhore!🙂

      Nando, …

      William, se você, um dos fãs mais ferrenhos de Grey’s que eu conheço, está tomando a mesma decisão de largar, é porque as coisas estão perdidas mesmo!!! Bye, Grey’s.

  4. Rafaella Sousa
    16 janeiro 2010 às 1:00 am

    E eu achei que depois do final da quinta temporada, a sexta seria incrível, ou sei lá, pelo menos fizesse lembrar porque eu gosto tanto de Grey’s Anatomy… Eu não tenho força pra largar a série, porque ela faz parte da minha vida, esperando ansiosa cada quinta chegar, depois me deliciar assistindo ao episódio e comentá-lo com os amigos. Mas esse episódio foi mesmo o fim da picada. Como sempre, só a Bailey e a Cristina se salvam, porque a Chandra e a Sandra são ótimas atrizes. E olha que eu adoro a Addison, mas ela apareceu em menos de dez minutos do episódio!! E como vc bem disse, o Chief tá um saco, ninguém merece a filha do Sloan e o bebê dela. Tinha que ter me visto gritando que nem uma idiota pro computador, quando eu vi que o Alex ia beijar a Lexie. Eu detesto twitter, mas será que eu consigo expressar em meros 140 caracteres a minha raiva num tweet para a Shonda Rhimes pelo que ela está fazendo com o meu seriado favorito?

  5. Caroline®
    16 janeiro 2010 às 1:03 am

    Começou a ver Good Wifw, né, seu danadinho? Vc tem que ver os primeiros, amo! Acabei de baixar o 12, vou ver agora!

  6. Jecik
    16 janeiro 2010 às 1:18 am

    Olha eu de volta. rsrs

    Estive acompanhando o blog, mas sem comentar. Mas Grey’s é Grey’s, mesmo estando em baixa (muito baixa).
    Concordo com vc quanto ao abandono da série. Nem o episódio anterior, o último do ano passado, eu baixei por já estar desanimada.
    GA já foi minha série preferida no ar. Agora são boas lembranças. ^^
    Acho que vou reassistir alguma temporada antiga e continuar tentando baixar Glee (maldito segundo episóido que dá erro toda vez).
    =*
    PS: Não se mate. rsrs

    • 16 janeiro 2010 às 1:23 am

      Rafaella, concordo com tudo!! Pior que tem tanta gente babando o ovo da Shonda no Twitter (bando de puxa-saco!!!) que é bem capaz da doida ter se convencido de que a temporada está agradando.

      Caroline, comecei e já vi todos os doze!😉

      Jecik, estranhei a sua falta de comentários. Estava com saudades! Vê se não some mais rsrs… E compensa muito mais rever os antigos de Grey’s do que perder tempo com esses novos. Se a série fosse nesse nível desde o começo, eu jamais teria me apegado!
      PS: Não me matarei! LOL

  7. 16 janeiro 2010 às 1:25 am

    Eu abandonei “Grey’s Anatomy” HÁ MUITO TEMPO!!!!! Beijos!

  8. Jecik
    16 janeiro 2010 às 1:27 am

    Maldito WordPress que deixa meus erros de digitação estampados para a posteridade. ¬¬

    rsrs

  9. 16 janeiro 2010 às 3:06 am

    Louis, só pretendo ver a quinta temporada da série pelo final genial da quinta temporada, mas a sexta temporada é uma que nem pretendo assistir. Confesso que também não aguento seis temporadas, Nip/Tuck é a segunda série que cheguei a uma sexta temporada e já esta me cansando também, estou continuando porque é a última temporada e sei que terá um final bom, quem sabe até ótimo ou excelente porque sabemos que a Ava Moore pode mudar esse rumo tedioso que a série chegou. Mas é triste mesmo ver uma série que foi excelente ou genial se tornar algo tão ridículo, entediante ou qualquer outra coisa ruim. Acho que séries deveriam ter apenas 3 ou 5 temporadas, quando a coisa se estende muito ou temos temporadas fraquissimas ou é só ladeira abaixo. Falo isso porque Six Feet Under que é excelente e da HBO teve deslizes na terceira temporada e uma quarta temporada ridícula, por isso acho que nenhuma série deveria se esticar tanto.

    • 16 janeiro 2010 às 3:18 am

      Ka, jura?? Dessa eu não sabia! Você fez muito bem! Beijo.

      Jecik, faltam poucas coisas para o WordPress ser perfeito, e isso de não poder apagar ou editar os próprios comentários é uma delas!🙂

      Mark, mas Six Feet Under, mesmo decaindo em relação ao que foi um dia, ainda mantinha certa coerência e qualidade. Grey’s não. Nem Nip/Tuck, com todas suas irregularidades, foi tão baixo. Concordo que série tem que ter vida curta, mas nunca sabem terminar no auge…

  10. Adriano
    16 janeiro 2010 às 3:21 am

    Essa foi a minha reação, postado no Twitter, após ter assistido ao Blink: “acabei de assistir Grey’s e… só posso lamentar que o meu seriado mais querido, o que mais já mexeu comigo, não existe mais.”
    Pra mim chega também… É uma decepção assistir à série e ficar lembrando deprimido de como aqueles corredores, ORs, On-call rooms já me mexeram um dia… porque Grey’s já mexeu comigo, ô se mexeu… de uma forma que nenhuma outra série já conseguiu, a ponto de eu quase chorar assistindo a um dito episódio, coisa que eu não faço desde, sei lá, a última surra que eu levei da minha mãe aos 10 anos… mas, enfim… I’m hopeless! rs

  11. Luh
    16 janeiro 2010 às 5:38 am

    AFFFF…. Quem eh vc pra falar mal de Grey’s Anatomy??? A série tá otima como sempree foi!! Izzie CÂNCER? É a melhor personagem. Tenho PENAAAA de vc, q nuncaaa vai aproveita oq a serie tem de bom!!!

  12. deiachan
    16 janeiro 2010 às 12:24 pm

    eu conheço vc o suficiente pra saber q vc é critico de fato e nao sai fazendo posts de ‘raivinha’ sobre series q começam a te irritar. vc tem repertorio suficiente pra dizer todas essas criticas e eu sei disso pq jah me irritei lytrus com suas performances ensandecidas me chamando de loser por nao assistir grey’s xDDD enfim, quem só xinga e nao acrescenta nada é pq nao tem nada a acrescentar em defesa à serie, oq soh comprova td q vc disse no post. bjomeliga =*

    • 16 janeiro 2010 às 1:19 pm

      Adriano, exatamente. É como se a série por que nos apaixonamos tivesse deixado de existir para ficar no lugar um show de horrores. A sexta temporada só teve dois episódios verdadeiramente bons, o sexto e o sétimo (e isso porque fugiram muito da fórmula básica da série). Hoje, quando usam essa fórmula de corredores, ORs e On-call rooms que você mencionou, fica longe de atingir o mesmo resultado – fica forçado, caricato, quase deprimente. Entendo você estar hopeless!😦

      Luh, devo dizer que seu comentário já nasceu antológico. Quando estiver a fim de uma discussão com argumentos construtivos, me dê um toque!

      Deia, você é a garantia da minha coerência e sanidade mental huahuahua… Sabe como eu amo Grey´s e o quanto já insisti para que fosse visse. Não teria falado mal a toa, jamais! Não ligo dos fãs ferrenhos defenderem, desde que não partam para cima de minha e que venham com argumentos!🙂 Beijomeliga.

  13. 16 janeiro 2010 às 1:26 pm

    não li seu post ainda; vi pelo formspring q vc tá largando e fui lá correr baixar.
    medo, hein. medo profundo.
    mas eu volto depois, tenho fé.

  14. 16 janeiro 2010 às 1:28 pm

    ixi, tem Private Practice junto? tô apavorando…

  15. Lucas Alves
    16 janeiro 2010 às 2:43 pm

    Oi Louis!

    Antes de comentar –> O ministério da Saúde adverte: o comentário a seguir está QUILOMÉTRICO… de novo…

    Olha, seu blog está cada vez mais interessante! Seus textos são tão bons q até parecem ter vida própria.
    Ok, eu sei q comento raríssimas vezes, e já fiz a promessa de q tentaria comentar mais… Mas dessa vez eu consiguirei. Tudo bem?

    – Então, sobre os posts de atuações da década…
    Teve algumas atuações q foram muito elogiadas nas suas épocas de lançamento, e vc não se posicionou a respeito…
    Os medalhões já consagrados: Geofrey Rush/Contos Proibidos do Marquês de Sade, Judi Dench/Íris (ou até mesmo Notas Sobre um Escândalo), William Hurt/Marcas da Violência, Sissy Spacey/Entre Quatro Paredes, Michael Caine/Americano Tranqüilo, Tom Wilkinson/Conduta de Risco, Fancis McDormand/Quase Famosos…
    As performances q pegaram a crítica “meio” de surpresa: Ryan Gosling/Half Nelson, Charlize Theron/Monsters, Forrest Whitaker/O Último Rei da Escócia, Amy Ryan/ Medo da Verdade, Adrien Brody/Pianista, Emile Hirsch/Na Natureza Selvagem, Hale Berry/A Última Ceia…
    E aquelas atuações questionáveis q foram descaradamente superestimadas: Reese Witherspoon/Johnny & June, Will Smith/ À Procura da Felicidade, Julie Christie/Longe Dela, Jennifer Hudson/Dreamgirls, Tim Robbins/Sobre Meninos e Lobos, Julia Roberts/Erin Brokovich, Ethan Hawke/Dia de Treinamento…
    Enfim, vc teria algo a declarar sobre alguma dessas atuações q repercutiram bastante no momento em q foram lançadas?

    – Sobre as premiações:
    Sempre me divirti muito jogando nos búzios p/ tentar adivinhar quem serão os vencedores desses awards de começo de ano, mas confesso –> está cada vez mais difícil conseguir dá bola p/ as premiações, pq a maioria dos trabalhos considerados favoritos simplesmente NÃO me instigam… pelo menos, não conseguem me deixar mais curioso do q outros.
    Por exemplo: estou muito mais interessado em assistir In the Loop do q Guerra ao Terror, e muito mais curioso p/ conferir a performance de Tom Hardy em Bronson do q George Cloney em Amor nas Alturas.
    Enfim, veremos o q rolará depois do Golden Globe e do SAG…

    – Ok, vc conseguiu: vou dá uma chance a Buffy…
    Colocarei a primeira temporada na minha lista de seasons a assistir.

    – Nunca levei Grey’s Anatomy a sério, por causa daquela famosa equação –> pouco tempo livre p/ assistir + muitas séries p/ conferir = lista de prioridades p/ assistir séries… e, bem, existe Damages, Modern Family, Dexter… Grey’s acabou fora de cogitação…
    E sabe, nem sempre se abandona uma série por ela ser ruim ou ter ficado indigesta. Vou falar por mim: já abandonei séries q considerei boas, pq NÃO consegui encaixá-las na minha lista de prioridades e deixei p/ conferí-las em um futuro indeterminado (exemplos: Robot Chicken, Friday Night Lights, Entourage).
    Além disso, já abandonei séries q reconheci serem boas, mas nem valiam a pena eu assistir pq NÃO tinham nada a ver c/ o meu gosto pessoal (exemplos: House, Two and a Half Men, Lost).
    Deu p/ entender?

    Fico por aqui, afinal, já escrevi muito…

    Abraços!

    • 16 janeiro 2010 às 2:51 pm

      Quéroul, espere só pra ver, menina! huahuahuahua…

      Lucas, não me importo com o tamanho dos comentários, desde que esteja lendo o blog com muito carinho!🙂 Gostei muito da sua divisão das atuações que marcaram ou que foram superestimadas. Admiro muitos dos trabalhos mencionados, mas não deu para encaixar a grande maioria – afinal estava mirando um top 10. Não gosto muito do Tom Wilkinson em Conduta de Risco, e acho Julia Roberts super digna em Erin Brockovich (só que muito abaixo de outras indicadas ao Oscar daquele ano). Estou SUPER feliz por saber que vai dar uma chance a Buffy (se a primeira temporada te decepcionar, tente insistir até a segunda – aí sim fica genial). Entendi seu sistema de seleção de séries, mas garanto que Grey’s nas primeiras temporadas valia a insistência. Só que acabou se perdendo terrivelmente. É duro, porque série que fica ruim é difícil de recomendar pros outros, mesmo que o início tenha sido interessantíssimo! Abs e volte SEMPRE!!! o/

  16. 16 janeiro 2010 às 2:53 pm

    Não tenho acompanhado Greys, parei na terceira temporada, mas é uma bela série. É díficil abandonar uma série assim, ainda mais quando já se cria um “laço” entre você e ela.

    Um exemplo, FLASH FORWARD. Vi o piloto e achei que estava diante de algo absolutamente fantástico, mas a cada episódio seguinte eu ia me decepcionando, até que tive que desistir, o que foi complicado, pois sempre há aquela esperança de surgir um bom ep.

    Tem que ter coragem, mas é uma atitude necessária às vezes, afinal coisa boa é que não falta por aí…

    Abraço

  17. 16 janeiro 2010 às 3:19 pm

    ainda não chegou minha vez, mas está ficando difícil, eu confesso.
    não aguento mais aquele Derek Shephard. não dá pra suportar a personagem que quer resolver tudo, saber de tudo e ter aquela aura de salvador. irritante.
    não aguento as musiquinhas incidentais, elas me irritam há mais de duas temporadas, e eu não gosto mesmo.
    não suporto esses roteiros que têm que ter dramas românticos forçados, conflitinhos bestas saídos do além pra ter um tema…
    mas que eu posso fazer se no final do episódio eu quase chorei com a Cristina? que posso eu fazer se estabeleci uma amizade firmeza com a Meredith, depois de rever a série pela milésima vez, e achar hoje que vale a pena por ela?
    um saco, eu diria. não acho que tem salvação, e você tá mais que certo de desencanar. eu vou continuar bobamente assistindo, tentando me convencer que meu namorado que tá errado de dizer ‘nossa, que espisódio comprido’, quando o episódio ainda tá com menos de 20 minutos…
    tristeza.
    =*

  18. Caroline®
    16 janeiro 2010 às 5:17 pm

    Louis, eu não tenho vergonha na cara. Digo isso porque, mesmo depois da grande bosta que foi o 6×11, eu fui ver o crossover em Private Practice. Mas só porque li numa review que Addie e Mark iam ter uma recaída. Pronto! Caí na armadilha. Aquilo é uma tortuuuura chinesa! Que gente idiota, infantil, chata e sem-graça! E a Addie fica assim no minuto em que sai de Seatlle, coitada! Só tive 2 momentos felizes: Mark Sloan seminu (!!!!) e Mark Sloan tentando segurar um bebê (parecia que estava segurando um saco de cocô). E a mala garota-Sloan vai dar o filho pra adoção e picar a mula. Ufa!

    • 17 janeiro 2010 às 12:00 am

      Bruno, Flashforward é o maior mico da TV atual. Começou cheio de ambições e acabou se provando uma grande palhaçada. Sorte a sua que deixou de ver Grey’s na terceira temporada: vai guardar sempre essa recordação, de uma ‘bela série’. Abs!

      Quéroul, preciso de gente como você para insistir na série e me dizer se melhora mais para frente! HUAHUAHA… Vai ser muito difícil ficar sem Cristina e Meredith, as duas personagens que eu mais gosto (junto da Bailey, vai)… Mas se ultimamente só a Yang tá valendo a pena… Sei lá, antes que alguém faça uma edição só das cenas dela e eu vejo depois. Porque quero deixar a série enquanto tenho pena pela queda de qualidade. Se chegar a ficar com ódio, aí sim apago as boas recordações de vez!😉

      Caroline, mas que coragem hein??? O pessoal de Private Practice é ridículo, ainda mais infantis que os de Seattle (e não de um jeito legal ou engraçadinho). Quanto ao Mark seminu, não vejo interesse: ele mostrou muito mais na sua sex tape! huahuahua… Sobre a menina ter se mandado, foi tarde DEMAIS. Nem vou chegar a ver a série sem a presença dela.

      • Caroline®
        17 janeiro 2010 às 2:44 am

        Mark Sloan sem roupa é sempre um bom momento. E aquele videozinho nen chega a ser sex tape…no máximo, uma naked tape bem mixuruca, em diversos sentidos….

  19. henriquezrx
    17 janeiro 2010 às 12:46 am

    Cara, definitivamente era esse o post que estava esperando, quando estava olhando o episódio já estava imaginando o que tu iria escrever, e acertei na mosca. Desde o começo fui fã assíduo da série, e sempre segurei minhas críticas. Tenho certeza que não vou me arrepender de deixar a série após todo esse tempo, mas definitivamente certas “atitudes” não dá mais para aguentar, como a constante ênfase nos personagens que não são significativos. E sério, aquele OMG que a filha do Sloan fala, é rídiculo mais forçado, impossível. Então, largaremos a série juntos. E observação, pelo tempo que tiveram para produzir esse episódio, podia ter saído uma coisa melhor, não só o episódio, mas sim, ter desenvolvido melhor a trama. Abraços

    • 17 janeiro 2010 às 1:02 am

      Henrique, sem dúvidas! A equipe de roteiristas está preguiçosa demais, e com isso perdem parte do público. Só eu e você já somos dois. Na comunidade oficial do Orkut tem mais uns vinte. Imagine numa estatística mais ampla! Triste, mas não vejo outra opção. Abs!

  20. 17 janeiro 2010 às 7:17 am

    é triste mesmo…mas vou continuar acompanhando pra ver no que vai dar…diferentemente de vc, nao assisto tantas series assim…até porque acho que poucas realmente tem um nivel de roteiro que me prenda…greys e six feet under sao as unicas…as outras sao legais, distraem….mas…nao encantam textualmente…de qualquer forma, seu post foi mto bom, mto bem embasado…gosto de te ler…seus artigos sao mto coerentes…entendo seu afastamento mas….permaneço…vamos ver até onde a shonda vai sustentar isso tudo….beijos e parabens pelo seu trabalho…

  21. Carlos
    17 janeiro 2010 às 8:45 am

    É, sera o pior comentario ou talvez o mais dificil de entender: george faz falta..

  22. 17 janeiro 2010 às 5:15 pm

    voltei pra dizer que nao é porque o seu time está perdendo vários jogos consecutivos que voce deixa de torcer por ele! (seu post mexeu comigo…parece que só agora tá caindo a ficha….nao posso perder a companhia dessa série, nao posso!!)

    • 17 janeiro 2010 às 7:16 pm

      Maira, coragem!!! Valeu pelos elogios. Entendo a sua insistência na série – como você disse depois, é tipo torcer por um time, mesmo quando está caidaço e na segunda divisão. Mas não sou tão persistente assim, nem um torcedor fanático. Tive carinho pela série e sempre terei – só que não deu!😦

      Carlos, não sei se a série estaria muito melhor com ele lá, mas sem dúvidas prefiro George a Izzie!

  23. Arthur
    17 janeiro 2010 às 8:43 pm

    Nãooooooo! Agora onde lerei criticas boas dos episodios de greys depois de assisti-los?

  24. 18 janeiro 2010 às 1:19 am

    Estou com vontade de espancar a Shonda Rimes até agora…e o pior é que parece que a Heigl já regressa no próximo episódio…

    • 18 janeiro 2010 às 5:04 am

      Arthur, não deixe de vir ao blog por conta disso! Vou procurar trazer assuntos interessantes à tona e me esforçar para que as críticas melhorem cada vez mais, independente do que estiver sendo avaliado!

      Anita, o pior é que não sei se a volta de Heil vai prejudicar ou alavancar o programa… Muito provavelmente a primeira opção. Mas de fato, dá vontade de cair de pau em cima da Shonda!

  25. 18 janeiro 2010 às 6:06 am

    Muito digno, viu?
    Eu também estou desanimado com essa falta de gás da série, mas não vou deixar não…
    Tenho minhas esperanças, sou muito forte com Grey’s!
    Um abraço!
    =*

    • 18 janeiro 2010 às 6:57 am

      Albert, não tem quem não desanime diante desse resultado! Coragem, continue insistindo até onde der e me dê um toque se melhorar!😉

  26. luan
    20 janeiro 2010 às 10:25 pm

    é uma pena que tenha desistido!!! pois eu realmente acho que vai melhorar a série!!! é que pra mim ultimamente me parece que a shonda está maluca 1!! e com gente maluca nao se discute!!! pois é se continuar assim eu vou seguir o mesmo caminho que o seu!!! e ir para outra série!!!

    • 21 janeiro 2010 às 12:34 am

      Luan, se melhorar de fato, me avise que eu corro atrás do que perdi. Não tenho essa mesma esperança que você – e não quero arriscar a perder todas as boas lembranças! As vezes, partir pra outra é o melhor a fazer.

  27. Cleverson
    24 janeiro 2010 às 12:01 am

    Ola Luis, é a primeira vez que escrevo um comentario, mas acompanho o teu blog desde aproximadamente a um ano. Tenho certeza de que apesar de curtir escrever os artigos isso deve ser um trabralho muito cansativo e difícil de compaginar com a tua vida pessoal. Por isso o primeiro que quero fazer é dizer-te é OBRIGADO. Quanto a Grey’s Anatomy, estou de acordo de que a série vem baixando de qualidade vertiginosamente. O famoso último episódio de 2009 foi realmente um grande desastre, sem embargo, eu opino que bons e maus episódios/temporadas fazem parte do dia a dia dos roteiristas, dos atores, dos produtores, dos fãs e porque não, dos blogueiros. A primeira coisa que fiz depois de ver o episódio 12 foi vir ao teu blog pra ler a tua crítica e comparar idéias. Segundo o meu ponto de vista, o episódio 12, mesmo que esteja longe de ser bom, foi um episódio mais coerente, e parece que as coisas podem voltar aos eixos. Quero somente concluir dizendo que entendo a tua tristeza e o consequente abandono da série, mas que também lamento profundamente já não poder contar com teus comentário da das série que para mim, é uma das mais queridas de todos os tempos. Espero que o mais breve possível sintas saudades das emoçoes de Grey’s Anatomy e que a nostalgia te traga de volta entre os seus espctadores. Mas o que mais espero, é que possamos contar com os teus comentários, ainda que escrevesses de uma maneita indulgente e com um pouco de lástima pelo que a série vem se tornando. Mais uma vez, OBRIGADO.

    • 24 janeiro 2010 às 3:48 am

      Cleverson, que lindo seu comentário… Primeiramente, não precisa agradecer. Por mais que minha vida pessoal seja complicada pelo blog, escrevo com o maior prazer, e sempre tendo vista os leitores. Segundo, confirmo que foi difícil abandonar a série e que minha última Quinta foi um pouco mais vazia sem os médicos do Seattle Grace. Recebi comentários sobre o novo episódio, e em geral me garantem que a série está longe de ser o que era, mas está dando sinais de que pode escapar do desastre total. Se eu sentir que for o caso, voltarei a ver com prazer – e farei um review grandão para compensar os episódios perdidos. Até lá, não me sinto apto a comentar, já que vai parecer só implicância gratuita e vai me fazer perder o carinho que sinto, até hoje, por Grey’s! Obrigado a você pelas visitas e pelo comentário. Volte em breve!

  28. Elis
    26 janeiro 2010 às 8:35 pm

    cara,cai aqui por acaso(um amigo me passou um link no msn) e só digo:critica perfeita!inclusive na parte da Izzie,e olha que eu gosto da personagem.
    aquilo lá tá uma bagunça,393793 personagens,38093803 guest stars e nenhuma historia boa.essa temporada é a pior de todas,deus me livre.ainda acompanho alguns spoilers,alguns reviews dos ep,mas não tenho nenhuma vontade de baixar e ver.na tv então,só se não tiver nada pra fazer no momento.
    abraços

    obs:é engraçado o seriado ainda se chamar “GREY’s Anatomy”.lembra quando a Meredith era a peça central?faz tempo….
    obs²:se eu deixar de acompanhar totalmente,acho que daqui a 1 ano nem vou reconhecer mais quem tá no elenco.
    obs³:curto mto o final que a Shonda dá pros personagens(/ironiaq),Burke largou a Cristina na Igreja,George morreu desfigurado….já estou pensando como vai ser o da Izzie no final dessa temporada.

    • 26 janeiro 2010 às 9:47 pm

      Elis, concordo plenamente com todo o seu primeiro parágrafo. Também não vejo propósito no nome da série, já que Meredith deixou de ser a peça-chave (e o título deve dar problemas aos roteiristas, caso a série se estenda como E.R. e a Ellen Pompeo tenha que sair; nesse caso, ouvi dizer que colocariam a Lexie de protagonista, socorro!!). E certeza que Izzie vaza nesse final de temporada – que Shonda se livre dela com requintes de crueldade!🙂

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: