Início > Cinema > Cinema Paradiso – nos Cinemas!

Cinema Paradiso – nos Cinemas!

“Cinema Paradiso” é, sem sombra de dúvidas, o filme mais bem amado pela nova geração de cinéfilos, e não só pelo motivo óbvio. Conta a história de Totó, um renomado cineasta que recebe, logo nos primeiros minutos, um telefonema da mãe, informando que Alfredo havia morrido. Num extenso flashback, vamos conhecer a fundo a relação especial que se desenvolveu entre os dois. Ainda garoto, Totó demonstrava uma paixão genuína pelo cinema, a ponto de sair escondido de casa e de gastar o dinheiro do leite com o ingresso (a família era muito humilde, sustentada pelas costuras da mãe e por uma bolsa governamental, providenciada em função do falecimento do patriarca na guerra). Alfredo era o projecionista da única sala de cinema da cidadezinha, o Paradiso do título, e estimulava com frequência o interesse do menino (chegando a lhe reembolsar o ingresso com o próprio dinheiro, para que a família de Totó tivesse o que comer). Fascinado pela magia da cabine de projeção, Totó aprende as manhas e começa a trabalhar no Paradiso – mas Alfredo, a figura paterna mais forte que ele jamais tivera, insiste que o futuro lhe reserva coisas muito maiores.

O alcance dessa premissa é imensurável. Os amantes do cinema vão obviamente se identificar, mas o apelo de “Cinema Paradiso” não se restringe a eles. O filme é tão humano que consegue se comunicar, de igual para igual, com qualquer pessoa que algum dia teve um sonho que parecia além de suas condições. Edificante sem ser piegas, e importante de uma forma que poucos filmes são, “Cinema Paradiso” é também incrivelmente simples e sem requintes. Por vezes, o roteiro – escrito pelo próprio diretor Giuseppe Tornatore – opta por um exagero que poderia empobrecer as cenas em que é empregado (como nas traquinagens de Totó e seus amigos, filmadas no estilo pastelão, ou na reação dos frequentadores do cinema, que riam, choravam e gritavam para a tela). Na verdade, o recurso torna tudo ainda mais rico e interessante, já que sugere que não estamos vendo as coisas como elas de fato aconteceram, e sim como Totó se lembra delas. Isso explica o tom pueril da primeira parte, e os excessos de romantismo na segunda (quando avançam alguns anos e Totó, já mocinho, se apaixona por uma garota da vila – nesse ponto deixa de ser interpretado pelo ótimo Salvatore Cascio para ganhar um rosto adolescente no viril Marco Leonardi, cópia melhorada de Josh Hartnett). E do começo ao fim está o excepcional Philippe Noiret como Alfredo. Premiado com o BAFTA e o European Film Award pelo trabalho, deveria também ter levado Cannes (o filme saiu do Festival com o Prêmio do Júri) e, no mínimo, ser indicado ao Oscar (a Academia também reconheceu “Cinema Paradiso”, dando à Itália outra estatueta de Filme Estrangeiro). Quem vê cinema com olho clínico deve admirar não só a perfeita reconstrução de época (o Paradiso parece uma réplica exata do que deveriam ser as salas do interior italiano), mas principalmente a trilha – linda, atemporal e característica – de Ennio Morricone, uma das minhas favoritas de todos os tempos e essencial para dar ao filme sua identidade.

Foi um imenso prazer poder rever este clássico instantâneo na telona, e ir – mais uma vez – do riso ao choro em questão de segundos (tudo bem que dessa vez o riso foi estimulado pela minha acompanhante, a formidável autora do “Bring Me the Disco King”, que chorava de soluçar do meu lado). Não que pudesse ser diferente: desafio qualquer marmanjo a segurar as lágrimas nos minutos finais! Em cartaz no HSBC Belas Artes, na 5ª Semana Pirelli de Cinema Italiano, dedicada exclusivamente a Tornatore.

.:. Cinema Paradiso (Nuovo cinema Paradiso, 1988, dirigido por Giuseppe Tornatore). Cotação: A+

Anúncios
Categorias:Cinema
  1. 28 novembro 2009 às 3:15 pm

    Nossa, sem dúvida é um filme muito marcante desses novos… Gosto mesmo e compartilho com seus sentimentos para com ele, rs…

  2. 28 novembro 2009 às 9:09 pm

    Esse filme foi a obra que me transformou em uma cinéfila. Ele terá sempre um significado especial para mim. E eu o vi, pela primeira vez, num cinema. Era novinha demais. Acho que tinha 8 anos! Foi em João Pessoa! 🙂 Uma experiência inesquecível!!!

    Beijos!

    • 29 novembro 2009 às 1:20 am

      Cara da Locadora, acho que todo e qualquer cinéfilo sente o mesmo! 🙂

      Ka, mas que sortuda!!! Eu estava de fraldas, praticamente, quando este filme estava nos cinemas brasileiros pela primeira vez rsrs… Adorei poder rever na sala de projeção! 😉 Beijo.

  3. 29 novembro 2009 às 2:25 am

    Devo dizer que esse é mais um que não assisti, mas vou tentar assim que possivel. ^^
    =*

  4. lelacastello
    29 novembro 2009 às 5:17 pm

    Hahaha Você tinha que comentar que eu soluço quando choro né ! De nada por te fazer rir naquela hora super triste, senão você teria soluçado também.
    Amei ter ido ver no cinema com você esse filme, tem que se tornar tradição, sempre que tiver qualquer clássico nós temos que ver juntos, foi demais. Prometo tentar chorar ainda mais da próxima vez, pra você não chorar nem um pouco (amiga de verdade).

    • 30 novembro 2009 às 7:42 am

      Desculpa!!!!! huahuahuahuahuahua… Me diverti bicas contigo. Temos que tornar um hábito right now!! E pra todos filmes tristes de agora em diante vou te arrastar junto! o/

  5. Arthur
    6 dezembro 2009 às 2:14 pm

    eu fiz um escândalo quando vi uma edição especial do DvD que um rapaz ia levar, era a ultima, mas vendo meu desespero ele acabou me entregando HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAAH, um dos meus filmes preferidos EVER

    • 6 dezembro 2009 às 5:05 pm

      Arthur, imagino o seu desespero! huahuahua… Não tenho essa obra-prima em DVD, mas vai ser uma das minhas próximas aquisições!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: