Início > Cinema > 2012

2012

Não há dúvidas de que “2012” seja o grande filme-catástrofe da temporada – mas também há um consenso de que ele é bem ruinzinho. Não é um blockbuster responsável, como prometiam os teasers e trailers lúgubres, que chamavam a atenção para uma suposta previsão religiosa confirmada pela ciência. Segundo essa profecia, o mundo chegaria ao fim no ano que serve de título: em Dezembro de 2012, os planetas se alinhariam e um abalo sísmico de proporções apocalípticas engoliria a Terra. O marketing em torno do filme estimulou o público a levá-lo a sério, sugerindo inclusive que buscassem maiores informações na internet.

20121-2

Mas é claro que tudo é balela, e o diretor Roland Emmerich (que já botou o planeta abaixo em “Independence Day” e “O Dia Depois de Amanhã”) não tem pretensões de ludibriar a humanidade. Percebe-se, porém, que também não tem pretensões de entregar um filme honesto, e contenta-se com a mediocridade. Há um problema gritante na dosagem do humor, tanto em seu roteiro quanto em sua direção. Os personagens perdem a vida mas não perdem a piada, e enquanto bilhões de pessoas morrem a sua volta (e que eles mesmos sofrem riscos inimagináveis), todos arrumam um tempinho para encaixar uma tirada sarcástica em sua fuga alucinada. Também se estabacam de tudo que é jeito, mas estão envoltos numa ampla margem de segurança, que garante que os protagonistas e coadjuvantes cheguem sãos e salvos até o ato final (onde aí sim começam a haver mortes relevantes, já que os tipos não são mais convenientes para o andamento da trama).

O elenco começa a ter problemas já em seu elo principal. Não tinha porque escalar John Cusack como mocinho, por exemplo. Além de pouco carismático, ele não tem a menor química com Amanda Peet, que faz a ex-mulher e mãe de seus dois filhos (me simpatizei muito mais com Tom McCarthy, o novo marido de Peet e padastro das crianças – uma curiosidade é que McCarthy é diretor e roteirista ocasional, tendo concebido os ótimos “O Agente da Estação” e “O Visitante”). Cusack não interpreta um oficial do governo ou agente secreto, e sim um escritor fracassado, que dirige limusines nas horas vagas por uma grana extra. É só um cidadão como os outros, forçado a fugir e a despertar seu heroismo quando tudo começa a desabar. Em meio aos terremotos e maremotos, “2012” consegue se manter atualizado ao apresentar um Presidente americano negro (Danny Glover) e sua filha mulata Thandie Newton (que depois de “Crash”, provou ser mesmo uma canastrona). Chiwetel Ejiofor é o cientista que prevê a catástrofe e Oliver Platt, um burocrata de índole discutível.

As possíveis leituras religiosas são todas muito fracas. Espetaculares mesmo são os efeitos, que certamente ficarão entre os finalistas do Oscar, com possibilidade de ganhar. Aos brasileiros tem um charme extra: a destruição do Cristo Redentor, cena que aparece de relance num noticiário da TV, mas que estampa um dos pôsteres nacionais. Para quem consegue se desligar, tolerar os clichês e curtir sem culpa, a diversão é garantida.

.:. 2012 (Idem, 2009, dirigido por Roland Emmerich). Cotação: C-

Anúncios
Categorias:Cinema
  1. 15 novembro 2009 às 3:51 am

    Ok, em geral quase ninguém gostou (inclusive a critica), ainda assim minha expectativa é muita, e como você mesmo disse que procurei e li tudo a respeito dessa suposta catastrofe!

  2. Carlos
    15 novembro 2009 às 4:13 pm

    Louis, esculpe está comentando aqui mas nao sabia aonde eu podia comentar. Aonde eu posso baixar FRIDAY NIGHT LIGHTS a primeira temporada-1 episodio RMVB legendado.

    eu nao consigo achar em lugar nenhum…. Nem no orkut…
    POrfavo me ajude

    • 15 novembro 2009 às 5:25 pm

      Cleber, e isso é um perigo!! Imagina o tanto de gente que pode levar a sério e entrar em pânico, esperando pelo fim do mundo daqui há três anos? rsrsrs…

      Carlos, que bom que está pensando em baixar Friday Night Lights, porque a série é espetacular! Acho que vai ser difícil achar os links – eu, quando baixei pra ver tudo em sequência há mais de um ano, tive dificuldades para encontrar os episódios da segunda temporada. E agora com todo aquele problema com os links da IsLifeCorp, que foram deletados, deve ser ainda mais difícil. Talvez você encontre em AVI em fóruns ou blogs internacionais, e baixe a legenda à parte pelo Legendas.TV. Eu uparia os episódios pra vc se ainda tivesse aqui comigo, mas deletei do meu laptop depois de comprar a série em DVD! 😉

  3. 15 novembro 2009 às 7:33 pm

    Sem dúvidas que foram gastos mais investimentos nos efeitos do que atenção nos atores. Mas acho que eles pretendiam isso, um filme para impressionar por seus gastos e não por seus elenco. Enfim, devo gostar de vê o mundo acabar mais uma vez.

  4. 15 novembro 2009 às 8:49 pm

    pra ser sincera, eu tinha curiosidade. no fim eu sempre gosto dessas coisas catastróficas (acho liiiiindo de morrer ‘O dia depois de amanhã’, até chorei, hahaha). mas eu broxei homericamente quando vi no trailer que o mocinho do filme era o Cusak.
    bleargh.

  5. 15 novembro 2009 às 8:59 pm

    Em geral não sou fã de filmes sobre o fim do mundo. Mesmo quando os efeitos são bons, o enredo não consegue me fazer querer ir ao cinema. Fiquei um pouco curiosa com 2012, pelo estardalhaço que fez na midia, mas já não ia antes do seu post, agora que não vou mesmo.
    =*

    • 15 novembro 2009 às 9:32 pm

      Luis, sim, ninguém vai ver um filme desses esperando por atuações matizadas e profundas, mas o mínimo que se espera é que o elenco interaja bem e que desempenhem seus papeis com um pouco de carisma – o que não acontece aqui.

      Quéroul, é o que eu digo, Cusack não tem cara de mocinho! Aliás, ele faz um tipo bem esquisito, porque praticamente tudo que eu vejo dele me incomoda rsrs… Apesar dos pesares, também curto um bom filme-catástrofe!

      Jecik, o engraçado é que todos esses filmes apocalípticos tendem a ser emocionalmente falhos, e olha que envolvem a morte de bilhões de pessoas! Mas se vc curtir um filme irregular, mas com bons efeitos e cenas de ação, acho que deve conferir sim. Porque se não ver no cinema, com tela grande e som estrondoso, não compensa ver em lugar nenhum! 😉

  6. 15 novembro 2009 às 9:56 pm

    Eu discordo um pouco de você, porque achei esse filme bem interessante, digamos. Consegui me interessar pelos personagens, me importar com o destino deles. Adorei alguns aspectos do roteiro e considero “2012” o melhor longa do Roland Emmerich! E não tenho medo de dizer isso! Entretenimento de primeira, sem enfadar! Beijo!

  7. 16 novembro 2009 às 12:00 am

    Louis, sendo bom o ruim, a verdade é que o filme fica super joia visto no telão. o enredo realmente é bem barrelinha. mas antes ve-lo nos cines que em DVD.
    🙂

    • 16 novembro 2009 às 1:52 am

      Ka, saiba você que o único personagem que me pareceu interessante bateu as botas (não digo quem é, mas dá pra notar pela resenha rsrs)! E acho que dizer que é o melhor do Emmerich não é dizer muito (ai que maldade, Louis)! Beijo! 🙂

      Jeniss, também acho – por isso que disse pra Jecik, ou veja no cinema ou passe adiante! 😉

  8. markhewes
    17 novembro 2009 às 4:56 pm

    Concordo com tudo o que disse em sua critica. Esse filme tem personagens irritantes, roteiro pobre. É uma catastrofe, não o fim do mundo, mas o filme. O engraçado é que no filme todos queriam sobreviver, ninguém aceitou a morte como aconteceu em Titanic – um filme mais maduro. Tudo ali foi muito mal construido.

    • 17 novembro 2009 às 11:11 pm

      Mark, estou ouvindo várias comparações com Titanic, e de fato não tem nem o que discutir – o filme do James Cameron é infinitamente superior (e olha que nem me incluo entre seus maiores admiradores).

  9. markhewes
    18 novembro 2009 às 3:27 am

    Louis, não tem nem o que comparar mesmo. Eu falei por ter ouvido comparações também, provavelmente as comparações surgiram pelas cenas das pessoas morrendo no navio, mas é até bom relembrar e ver como “Titanic” teve competência, esse que falou sobre o fim do mundo foi uma piada, mas filmes sobre isso sempre são fracos, mas esse poderia ter sido um pouquinho melhor.

    • 18 novembro 2009 às 6:28 am

      Em Titanic vc realmente sente a morte daquelas pessoas, e o filme respeita a tragédia. 2012 trata sua tragédia hipotética como uma grande piada!

  10. 18 novembro 2009 às 12:14 pm

    Acho que vou deixar passar. rsrs
    =*

  11. markhewes
    18 novembro 2009 às 1:04 pm

    Concordo!

  12. luan
    19 novembro 2009 às 12:14 am

    eu só não sai da sala do 2012 no meio da sessão porque estava com meus primos!!! oq ue foi esse filme!!! foi ridículo!!! achei patético ao extremo!!! acho que até james e o pessego gigante é melhor que isso!!! srio odiei demais esse filme!!!

    • 19 novembro 2009 às 12:15 am

      HUAHUAHUAHUA Que implacável, Luan! E eu acho James e o Pessego Gigante super fofo! 🙂

  13. 19 novembro 2009 às 11:40 am

    Nossa! “James e o pessego gigante”, nem lebrava que esse filme existia. huahuhau É legal.
    =*

  14. Roseli Zanella
    2 dezembro 2009 às 1:05 am

    Eu simplesmente ADOREI o cientista maluco do filme, quem sabe se ele tivesse aparecido mais o flme teria sido um pouco melhor… fiquei até triste qdo ele morreu, mas como ele morreu feliz… Qto ao filme é isso qto aos efeitos é outra história, pena que foram usados num filme tão tosco.

    • 2 dezembro 2009 às 11:36 am

      Jecik, também adoro!

      Roseli, o personagem do Woody Harelson é a melhor coisa de 2012, pena que bateu as botas tão cedo (e nos fazendo rir até o último segundo)! Os efeitos são de cair o queixo e devem até chegar ao Oscar, mas não bastam para tornar o filme mais do que “assistível”.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: