Início > Cinema > O infame Fama

O infame Fama

Fracasso de bilheterias nos Estados Unidos, a refilmagem de “Fama”, o famoso musical de 82, está fadada também ao desprezo dos brasileiros. A começar por ter estreado em poucas salas, já que a distribuidora PlayArte é assumidamente a pior do país. Mas não saímos perdendo. O resultado é, de fato, bastante ordinário e açucarado, mais próximo das banalidades de “High School Musical” do que de sua fonte de inspiração (que por sua vez já não era grande coisa; apenas contava a história com certa coragem, mostrando o uso de drogas e escancarando a homossexualidade de certo personagem). Nada disso acontece aqui: todo mundo é muito bonzinho, politicamente correto, careta. Sequer falam palavrão (seria um escândalo alguém dizer “fuck”, a palavra mais pesada da língua inglesa, de forma que ela é sempre substituída pelo sinônimo mais brando “screw”).

fame10

Advém daí um conto de fadas quadrado, ambientado na prestigiada High School of Performing Arts – um colégio de Nova Iorque muito requisitado, onde os alunos estudam canto, dança e interpretação além das matérias tradicionais. Não à toa, muita gente famosa veio de lá. Eles tentam deixar claro que o local não é um atalho para o sucesso, mas no final se contradiz. Quase todo mundo dá certo ou termina bem encaminhado (até quem se dá mal continua otimista). Os personagens são tipos mal resolvidos. Tem uma garota black com vozeirão, mas seus pais querem mesmo que seja pianista clássica; tem uma ingênua aspirante à atriz que, pelo que demonstra nas atividades em aula, não teria condições de ser aprovada nem mesmo na Oficina de Atores da Globo, que dirá numa escola de tamanho cacife; tem um galã cantor de voz afeminada que se apaixona pela pretendente a atriz; tem um bailarino gay vindo do interior para perseguir seu sonho (mas sua sexualidade fica implícita só nos trejeitos, porque o roteiro foge de contravenções como o diabo da cruz); tem um negro da periferia que perdeu a irmãzinha num tiroteio e que agora quer emplacar como rapper ou “performer”; tem um aspirante à cineasta cult que está sempre registrando tudo com a câmera, e assim por diante.

Nenhum desses jovens atores demonstra maior talento – o show fica por conta dos dançarinos profissionais, que surgem como meros figurantes nas apresentações. Os veteranos se saem melhor – dos ótimos Kelsey Grammer e Bebe Neuwirth à sempre brilhante Megan Mullally, a Karen de “Will & Grace” (que tem direito a um solo, onde demonstra que é afinada, apesar de seu timbre esquisito). Nada que compense, no entanto, essa xaropada adocicada, altamente desaconselhável aos cínicos e diabéticos.

.:. Fama (Fame, 2009, dirigido por Kevin Tancharoen). Cotação: D-

Anúncios
Categorias:Cinema
  1. henriquezrx
    13 novembro 2009 às 1:03 am

    Bom, já fica a dica para nem perder tempo olhando. ;]

  2. henriquezrx
    13 novembro 2009 às 1:06 am

    Daqui algumas horas Grey’s. Louis, sabe alguma maneira de assistir online? Percebi que tem várias pessoas que assistem online, mas não sei aonde. Na TV à cabo, passa necessariamente na abc? Aqui em casa tem um aparelho que rouba a linha do satélite, vou ver se acho.

  3. 13 novembro 2009 às 1:13 am

    Ow, uma pena, adoro filmes com musicas. =/
    Mais um que não presta. Alguma indicação de filmes que prestam e múcisa?

    =*

  4. 13 novembro 2009 às 1:13 am

    Serio, odeio o wordpress. ¬¬

  5. 13 novembro 2009 às 1:20 am

    Me falaram desse filme hoje mesmo. Disseram que ele cria uma espectativa ilusoria, porque depois de ver o filme, é uma decepção completa!
    Estou começando a ver que essa opiniao é homogenea. Se for assim, obrigado mesmo pela critica!

    Abraços!
    Se der Passe no Cinemotica?

    Abraços.

  6. henriquezrx
    13 novembro 2009 às 1:35 am

    O musical que eu mais gosto é Moulin Rouge. Acho bem interessante todo desenvolvimento do filme… ;]

    • 13 novembro 2009 às 1:37 am

      Henrique, corre na comunidade de Grey’s Anatomy no Orkut!! Lá no tópico da Vigília eles sempre colocam vários links para ver ao vivo – que prestam, dependendo mt da sua conexão. Começa daqui a pouco, à 0h no horário de Brasília! 🙂 Quanto a meu musical favorito, é O Mágico de Oz!

      Jecik, o WordPress é cheio de frescura né? rsrs… Isso de não poder apagar os comentários é um dos pontos negativos. Mas em geral tá um banho no Blogspot! Filmes com músicas que prestam? Recentemente tá difícil. Tente Glee, uma série musical irresistível!

      Paiva, é exatamente o desastre que todos estão pintando. Uma pena! E passo sim no seu blog! 😉

  7. 13 novembro 2009 às 2:16 am

    Louis, deixei uma pequena homenagem a você no Club … passa lá! Grande abraço!

  8. 13 novembro 2009 às 2:20 am

    Cara, Bebe Neuwirth tá no cinema e eu nem sabia?! Essa mulher é uma diva dos palcos e vai estrear próximo ano o musical da familia addams na broadway e tem muitas chances de ser indicada oa tony mais uma vez.
    ainda não conferir o filme, mas mesmo assim vou me aventurar. Tomara que as músicas continuem legais, pelo menos, e não tenham tentado forçar aqueles rap, o batida eletrônica tão efadonha e conhecida.

    • 13 novembro 2009 às 4:36 am

      Cleber, obrigado pela lembrança!!! Me sinto lisonjeado, e tb adoro seu blog! 😀

      Luis, está sim, mas perdida num papel que não lhe acrescenta nada. Melhor ficar na Broadway! E todos os seus receios em relação a Fame se concretizam.

  9. 13 novembro 2009 às 11:24 am

    Já tava pensando em ver Glee só pelos seus comentarios. ^^
    =*

  10. 13 novembro 2009 às 1:20 pm

    eu vi o trailer no dia que fui ver o filme do Máicol.
    meu coração palpitou, mas meu cérebro sabe que é pra correr léguas, gritando…

  11. 13 novembro 2009 às 9:13 pm

    O original é um filme muito bom, principalmente pelo diretor Alan Parker, que fez ótimos filmes na década de oitenta.
    Pelo apenas mais uma refilmagem que busca lucro e nada mais que isso.

    Abraço

    • 14 novembro 2009 às 12:41 am

      Jecik, vale a pena! 😉

      Quéroul, senti a mesma coisa. Percebi pelo trailer que seria ruim, mas aquele tipo de ruim que eu até curto ver de vez em quando. Só que o filme consegue ser inferior às minhas piores expectativas rsrs…

      Hugo, Alan Parker teve seus momentos mesmo! E sim, a refilmagem é um caça-níquel, mas quebraram feio a cara. A MGM quase não lançou filmes em 2009 e este aqui foi seu principal e maior fracasso. Abraço.

  12. luan
    19 novembro 2009 às 12:19 am

    essa foi uma das poucas críticas suas que eu não concordasse !!! eu achei o filme extremamente bom pelo gênero!!! esperava que ele fosse bem mais fraco!!!
    mas ele estava com uma sonoplastia excelente!!! gostei de não usarem atores tão conhecidos !!! achei esse filme realmente muito bom mesmo!!! pro genero achei que seria uma simples tarde de domingo que estaria perdendo assistindo filme com a minha irma mas percebi que estava de longe de ser isso!!! amei fama !!! serio!! melhor filme do genero dos ultimos 4 anos pra mim!!!

    • 19 novembro 2009 às 12:59 am

      Luan, do gênero vc se refere a musicais ou filmes para adolescentes? Em ambos os casos, posso citar listas e mais listas de exemplares superiores rsrs…

  13. luan
    19 novembro 2009 às 11:35 pm

    acho que do genero de musical adolescente!!! claro que de musicais existem uns excelentes mas gostei bastante de fama!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: