Início > Gente > Simplesmente Meryl

Simplesmente Meryl

Só agora me dei conta de que deixei passar em branco o sexagésimo aniversário de Meryl Streep, a deusa iluminada da atuação. Não fiz nem um bolinho, nem parei pra cantar parabéns, judiação. Aproveito então essa data mística – 09/09/09 – para corrigir essa falha e prestar homenagem a uma das minhas cinco atrizes favoritas!

4-meryl streep

Existe um consenso, ao menos entre a classe dos atores americanos, de que Mary Louise Streep (ou simplesmente Meryl) é a maior atriz viva. A grande dama de sua geração e a rainha de todas as outras. Não à toa, é a recordista de indicações ao Oscar, com quinze já acumuladas, mas apenas duas vitórias (tem quem garanta que a terceira virá no ano que vem, por “Julie & Julia”, onde é só elogios como uma ilustre chef de cozinha). Embora também acreditássemos que “Dúvida” seria a sua grande chance de levar um novo Oscar, e todos viram como a direção imatura não foi capaz de conter o “monstro”, resultando num dos momentos mais exagerados (over the top) da carreira de Meryl. Contudo, o que a Academia vem reforçando com indicação após indicação, é que Miss Streep deve continuar nesse caminho. Ao reconhecê-la apenas pelo prestígio, mesmo que por trabalhos não tão dignos, estão garantindo que, um dia, o terceiro prêmio há de sair.

Como você pode perceber pelo parágrafo acima, não sou um admirador cego. Estou entre os que acreditam que Meryl erra, se equivoca, dá passos em falso – em especial quando não tem uma personagem forte ou minimamente marcante (porque todo e qualquer ator depende de um bom texto – o que não quer dizer que um estereótipo como a Miranda Priestly de “O Diabo Veste Prada” não possa ser enriquecido com perspicácia e timing). Ou seja, Meryl é humana. Ainda que uma humana craque em transitar de um gênero para o outro, e conhecida por sua imensa facilidade em incorporar sotaques (inclusive há um vídeo no YouTube que faz uma colagem de cenas da danada imitando tudo que é pronúncia). Também é venerada por sua humildade, alto astral e respeito pela nova geração de atores. Imagine só: chegou ao topo, se manteve ali por mais de três décadas, não deixou de priorizar os papeis mais desafiadores, ganhou prêmios que não cabem na estante, e conseguiu preservar uma postura de botar no chão as Suzana Vieiras da vida – leia-se as atrizes displicentes e vulgares que se consideram presentes de Deus (a ponto de tirar microfone de repórter)!

É claro que Meryl tem seus detratores, sendo a finada Katharine Hepburn a mais famosa. Ela disse numa entrevista certa vez que considerava as atuações de Streep mecânicas, como se pudesse ouvir o “click” de um trabalho para o outro. E quem sou eu para contrariar Katharine Hepburn, que, antes e depois de Meryl, é a Primeira Dama definitiva do Cinema? Só posso dizer o que todo mundo sabe: Hepburn era extraordinária intérprete, mas um bode na vida real. Uma solteirona mal resolvida, amarga e antipática, que sempre tratou a imprensa com desprezo, apesar de ter sido respeitada por ela, que não divulgava seu caso de longa data com Spencer Tracy (os dois eram apaixonados, mas Tracy era católico e se recusava a deixar a família). Fofocas à parte, vamos voltar para a estrela do post: Meryl é a melhor atriz do mundo? Não. Mesmo dentre as vivas posso citar uma meia dúzia que a superam (Vanessa Redgrave, Liv Ullmann, Annie Girardot e outras da velha guarda, especialmente europeias). Glenn Close entre as americanas também estaria no mesmo patamar de excelência, talvez até um degrau acima (mas deu azar, fez as escolhas erradas, caiu na caricatura ao interpretar Norma Desmond na Broadway e acabou se voltando pra TV – o que não é indigno, mas não lhe confere a evidência de outrora). Mas o que constrói uma diva não é só o talento (que obviamente Meryl tem pra dar e vender) mas também o caráter, o tipo que fica e agrada. Meryl como figura pública é uma fofa. E o que são muitas de suas performances além de um exercício bem apurado e gostoso de se ver de sua persona?

Vida longa à Meryl!

Anúncios
Categorias:Gente
  1. 9 setembro 2009 às 3:57 pm

    Acho que vc já deve ter percebido pelos meus comentários ao longo dos posts, mas Meryl é uma das minhas atrizes Top 3… amo essa mulher…

    • 9 setembro 2009 às 10:10 pm

      Régis, também a idolatro. Apesar de não a considerar uma das cinco melhores atrizes, está entre as minhas favoritas por sua combinação de talento, boas escolhas e simpatia.

  2. Thaís
    10 setembro 2009 às 12:41 am

    Adorei esse blog, muito bom!! Meryl é uma DIVA, sem dúvidas a minha atriz preferida. Beijos!

    • 10 setembro 2009 às 12:51 am

      Thaís, obrigado! É sempre bom conhecer fãs da Meryl! 😉

  3. 10 setembro 2009 às 1:16 am

    Louis, é verdade que tem várias atrizes com o mesmo talento de Meryl.
    Mas, eu acho que o que faz ela ser a deusa que é são as escolhas que ela toma.
    Ela tem um timing perfeito. Sempre no filme certo, na hora certa, com a interpretação certa. Se envolve em produtos pipoca e produtos independentes, sempre com a mesma excelência na hora de atuar. Ela sabe fazer escolhas como ninguém. E, mesmo que algumas delas não sejam lá muito inteligentes, ela sabe contornar os erros e ao menos ser o principal atrativo de um filme. É pelo perfeito timing que Streep é a minha atriz favorita de todos os tempos.

    • 10 setembro 2009 às 1:09 pm

      Matt, entendo o seu favoritismo. A Meryl é inteligentíssima e prioriza os papeis desafiadores, que lhe acrescentem algo. E se vira nos 30 para tornar mesmo os tipos bidimensionais interessantes e complexos. Apesar de não achar ela sempre boa (tem uma meia dúzia de lapsos que, por educação, prefiro não mencionar), acho um amor de pessoa e uma senhora atriz! 🙂

    • raa
      10 setembro 2009 às 1:52 pm

      Concordo c/ (quase) tudo q o Matheus fala!
      Só ñ é minha atriz favorita de tds os tempos…

      Q lapsos seriam esses Louis?
      Não sou um fã cego,nem se preocupa!
      Queria saber sua opinião!Please!
      Nem q seja por email!

  4. raa
    10 setembro 2009 às 1:49 pm

    Uma das minhas atrizes preferidas!
    Gosto de quase td q vejo dela,mas msm se o filme ñ for bom , por ela geralmente vale a pena!
    Muitos papeis inesqueciveis,mas o q + me marcaram foram o de Eleanor Shaw (Sob o dominio do mal)e o obvio Francesca Johnson em “As pontes de Madison”(um dos meus filmes preferidos…).
    Pra mim uma das melhores cenas/atuação da história é aquela do final no carro …
    Aquele olhar desesperado , aquele silencio insurdecedor!Lindo,lindo , lindo!
    God save Meryl!

    • 10 setembro 2009 às 3:20 pm

      Rafa, Meryl em Pontes de Madison está fantástica! Top 3 das minhas atuações favoritas dela. As outras são A Escolha de Sofia (é claro!) e no telefilme Angels in America! São dominós de nuances que assombram!!!

  5. 11 setembro 2009 às 3:38 am

    Meryl is the best. =D

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: