Início > Cinema > Se Beber, Não Case

Se Beber, Não Case

Foi melhor que a encomenda: “Se Beber, Não Case”, dirigido pelo medíocre Todd Phillips (de “Dias Incríveis” e “Starsky e Hutch”, mas também roteirista de “Borat”) e protagonizado por atores desconhecidos do grande público (Bradley Cooper e Justin Bartha são os únicos de quem se lembra o rosto, e ainda assim não se sabe de onde), contrariou as expectativas, teve ótima bilheteria e recebeu aprovação quase unânime da crítica. De fato, fazia tempo que eu não ria tanto no cinema – o que me faz considerá-lo o filme mais engraçado do ano.

the-hangover-01

Fala sobre as desventuras de um quarteto em Las Vegas. Um deles está para se casar, e na véspera da cerimônia vai para a cidade da jogatina com dois amigos de longa data (um é pai de família e o outro é dentista) e com o futuro cunhado, um gorducho meio retardado. Era para ser uma despedida de solteiro tradicional, com roletas, strippers e bebedeira. Mas de alguma forma as coisas saem do controle – e quando acordam no dia seguinte não se lembram de nada (o título original, “The Hangover”, ou seja, “A Ressaca”, é mais oportuno). O pior de tudo é que o noivo sumiu, e os outros três tem que correr contra o relógio para encontrá-lo a tempo do casamento. Para tal, precisam refazer seus passos na noite que se passou e descobrir exatamente em que confusões se meteram – a começar por vasculhar o quarto do hotel, onde se deparam com um tigre e um bebê! A tradução nacional adianta também que um deles se casou, mas acredite, este será o menor dos problemas com que eles terão que lidar.

É diversão em seu estado mais bruto. Ter Las Vegas como cenário já é meio caminho andado para uma história muito, muito cool. Soma-se a isso o elenco inspiradíssimo, com timing impecável para comédia, e química e afinidade genuínas. O diretor, que se voltara antes para tramas sobre adultos irresponsáveis sem o mesmo sucesso, acertou em cheio dessa vez. Em parte porque o roteiro é melhor do que os de suas fitas anteriores – tem inclusive o maior número de  boas piadas por minuto num filme recente; é bem ajeitado, estruturado de forma correta, sem deixar pontas soltas e ao mesmo tempo sem complicar demais as explicações. Até quando apela pro humor físico consegue escapar da baixaria gratuita. Só poderia ter dispensado, numa boa, um certo uso de violência como alívio cômico (como quando os amigos apanham de um oriental preso no porta-malas do carro). Quando eles se machucam e sangram passa a ter dor, a ser real. Provoca pena e espanto e foge completamente do tom. Nada, porém, que o torne menos desfrutável, ou menos notável entre a nova safra do gênero.

.:. Se Beber, Não Case (The Hangover, 2009, dirigido por Todd Phillips). Cotação: A-

Anúncios
Categorias:Cinema
  1. 23 agosto 2009 às 2:19 pm

    as críticas desse filme só melhoram. se for tão joia quanto “Dias Incríveis”, então valerá o ingresso.
    abraço 🙂

  2. Doc Brown
    23 agosto 2009 às 4:09 pm

    E ae Louis, bele?

    Cara, eu acho extremamente difícil um filme que consiga fazer rir constantemente. Acho que um dos poucos que teve esse efeito em mim foi O Virgem de 40 Anos, mas, só na primeira vez que assisti.

    Tô achando que o The Hangover vai ser um desses casos!

    abs!

  3. Caroline®
    23 agosto 2009 às 4:30 pm

    Mais um filme pra minha lista….

    • 23 agosto 2009 às 5:04 pm

      Jeniss, eu, que não gostei de Dias Incríveis, sou só elogios a este aqui. Você que já achou o outro bacana não terá do que se queixar! Abraço!

      Doc, engraçado que se a gente parar pra pensar essa fase da comédia no cinema americano é a melhor em décadas. Tem o dedo do Judd Apatow nisso aí, que de “O Virgem…” pra cá só deu bola dentro. No embalo surgiur esse “The Hangover”, que pelo trailer empolgou o suficiente para que tivesse uma bilheteria estrondosa. O que ajudou também foi o boca-a-boca. Todo mundo elogiando, dizendo que riu à beça. Tenho certeza que você não irá se frustrar! 😉 Abraço.

      Caroline, mais um rsrs… Já está padronizado: toda semana tem uma estreia imperdível e outra fraquíssima! Esta pertence ao primeiro grupo.

  4. raa
    23 agosto 2009 às 5:33 pm

    Vi o filme ontem e tbm adorei!Achei realmente muito , mas muito bom msm!
    Muitissimo engraçado!ri durante o filme quase td!
    E alem de engraçado , o roteiro eh (nao sei botar acento neste teclado ) otimo!
    Acima da media da grande maioria das comedias!
    Divertido,agil, criativo e envolvente!
    Alem do elenco ser otimo!A quimica entre os protagonisstas eh otima,Cooper tem carisma e Zach Galifianakis (ta certo isso?) eh completamente impagavel…
    E Vegas eh sempre Vegas!

    Tbm recomendo totalmente!Ainda + se for pra assistir com amigos…

    • 23 agosto 2009 às 7:00 pm

      Rafa, tinha certeza que você ia gostar desse filme!! 🙂 Ri como um pônei. Cheguei a gargalhar como há muito não fazia no cinema. O Zach com sobrenome difícil (você acertou a grafia!) rouba as cenas – corri procurá-lo no IMDb quando cheguei em casa, já que mal o conhecia antes disso. É o coadjuvante mais risível da temporada (a cena do bebê se “masturbando” fez sair Coca-Cola pelo meu nariz). E Vegas… Ai ai! Para ver com a galera e rir sem compromisso não tem programa melhor.

  5. 23 agosto 2009 às 11:58 pm

    Geralmente, eu não gosto de filmes que possuem piadas de mau gosto, caso desse aí, mas eu me diverti horrores assistindo “Se Beber, Não Case”. Uma das melhores comédias do ano! Beijo!

    • 24 agosto 2009 às 12:48 am

      Ka, não gosto de muita baixaria ou grosseria, mas Se Beber Não Case não estrapolou nesse quesito – e ainda teve um número altíssimo de boas piadas por minuto. Ou seja, me ganhou! Beijo!

  6. raa
    24 agosto 2009 às 12:21 pm

    Pois é Louis!Vc estava certo…amei msm!
    Ri como um pônei. Cheguei a gargalhar como há muito não fazia no cinema.[2]=P

    C/ ctza!Zach rouba a cena!Quer dizer, rouba o filme td!O filme é dele na minha opinião!Como diria isabela boscov , ele pega o filme e sai c/ ele correndo c/ ele debaixo do braço!
    Tbm fiz o msm , assim q chegeu em casa procurei ele no imdb , me surpreendi c/ a grafia do sobrenome e vi q como imaginava ele ñ tinha feito nada de destaque até aqui!Voce já tinha visto ele antes em algum lugar?Pra mim era um ilustre desconhecido!=P

    Meu Deus!A cena do bebê é A melhor!KKKKK!
    Ri parecendo um bobo no cinema!10 min. dps ainda estava rindo !
    Adorei a cena do tigre tbm e os creditos finais!

    Qnt a Vegas,nada a declarar!
    Agora que quarto de hotel é aquele?OMFG!

    • 24 agosto 2009 às 1:19 pm

      Preciso ouvir o comentário da Boscov!! Ela é meio oito ou oitenta, ou gosta ou odeia, mas é bem articulada. Aliás, bom saber que ela gostou, já que tb costuma ser careta! LOL

      Eu lembrava do Galifianakis não de comédias, e sim de um drama! Ele tem uma pontinha em Na Natureza Selvagem, que é um dos meus filmes preferidos e que já revi milhões de vezes. Mas estava tão diferente todo barbudo que fiquei na dúvida. Todas as cenas dele no The Hangover são impagáveis – a do bebê em especial, de chorar de rir! 🙂

      E já decidi: quanto eu ganhar na Mega Sena, vou pra Vegas me hospedar num quarto daqueles. Morri de inveja, que nem a suíte do Plaza no Esqueceram de Mim 2! Oo

  7. raa
    24 agosto 2009 às 2:59 pm

    Não , não!Ela não falou isso desse filme ñ!
    Ficou um pouco confuso msm…
    Tbm ñ vi a crítica dela pra esse filme ainda ñ…
    Mas ela costuma falar isso sobre os coadjuvantes q roubam a cena…Se bem q ele tbm é meio protagonista…

    Qnt a Boscov,concordo q ela é 8 ou 80 msm,mas geralmente o gosto dela bate c/ meu…É dificil ela elogiar um filme e eu ñ gostar…Além de escrever super bem,né?E mais: gosto das criticas dela pq acho q ela é umas das poucas q vai além do filme em si… Ela sempre faz uma conexão c/ a história da epoca ou um posicionamento + filosofico/poetico da coisa…Sei lá,ao contario da imensa maioria de odiadores,gosto bastante dela…

    Nossa enrolo há um tempão c/ Na Natureza Selvagem,apesar das otimas criticas e da vontade de assistir, nunca lembro de locar!=/
    Sugestão anotada!

    Seu eu ganhar vou copiar seu plano!=P
    Mas antes dou uma passada em NY!

    • 24 agosto 2009 às 3:16 pm

      Ahhhh entendi! É um bordão dela! 😉 A Boscov é ótima crítica, mas escreve na VEJA, que é assumidamente de direita, daí acho que muita gente se antipatiza por tabela. Mas sou só elogios ao trabalho dela e concordo com a sua impressão. Na verdade, se fosse fazer alguma queixa seria aos spoilers. Ela não “manera” muito na descrição da sinopse e às vezes vai além do resumo oficial.

      Me lembro que você disse que não tinha acabado Na Natureza Selvagem porque era muito triste rsrs… E é mesmo viu. Já vi uma meia dúzia de vezes e sempre fico com um ar melancólico, um olhar perdido, refletindo. Mas é maravilhoso, comprova o talento do Sean Penn como diretor e do Emile Hirsch como ator. Fora que a trilha é a melhor daquela temporada!

      Ah, e complementando o plano: eu quero um McDonald’s em casa, que nem no filme do Riquinho! o/

      • raa
        25 agosto 2009 às 4:10 am

        Primeiramente , antes de td: Eu falei de Na Natureza Selvagem? oO Vc deve estar me confudindo c/ outro Rafael…Pq pelo q eu me lembre nesse 1 mês q eu venho comentando no blog,ñ falei nada sobre ele!=P

        Concordo quanto a Boscov,o preconceito pq ela trabalha na Veja rola solto…
        Concordo c/ os spoilers!Na critica de Arrasta-me p/ o inferno ela literalmente conta o final…Td bem q o slogan no poster meio q entrega tbm, mas não sei se é o tipo de filme q td mundo já assiste sabendo o final…
        Pior foi numa revista local aqui da Bahia q entregou o crime pelo qual a protagonista de “Há muito tempo que te amo” foi presa!Aff,me revoltei!É ser muito sem noção!Me contar final/spoiler de filme é msm q enfiar uma faca no meu coração!(exagero mode on!=P)
        Pior q meu irmão adora fazer isso!=/

        Ah, e complementando o plano: eu quero um McDonald’s em casa, que nem no filme do Riquinho! o/[2]

      • 25 agosto 2009 às 9:10 am

        Sim, sim, de fato. É porque no meu blog antigo eu tinha escrito sobre o filme – e fiquei com a impressão de que você tinha comentado por lá, porque o username era parecido! 🙂

        A Boscov precisa se policiar. Ao menos na crítica dela de Há Tanto Tempo Que Te Amo, ela conseguiu não contar o crime da Juliette. Isso realmente estraga a experiência de assistir ao filme!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: