Início > TV > TV, para variar

TV, para variar

Uma chuva inconveniente impediu a minha maratona ininterrupta de cinema nessa quarta-feira, e os filmes agendados terão que ser deixados para próxima. Mas não se desespere porque assunto é o que não falta pra gente comentar. Já que não tem filme, passemos para TV!

É com grande pesar que informo que encerrei “Joan of Arcadia”, só para constatar o que eu temia: que o cancelamento pegou todo mundo de surpresa e que não tiveram a chance de fechar as pontas e entregar conclusões mastigadinhas. Mais ou menos como aconteceu com “Veronica Mars”. Ou “Pushing Daisies”. Uma pena? Nem tanto, porque série com final de novela geralmente me irrita (alguém se lembra do pavoroso finale de “Will & Grace”?); até gosto de finais abertos, que dão a entender que a vida do personagem vai continuar mesmo depois de você desligar a TV. Só não pode deixar evidente o quanto de histórias a série ainda tem a contar, porque isso simplesmente deprime o espectador fiel – e foi o que aconteceu aqui. A introdução do Wentworth Miller, o carequinha de “Prison Break”, como um rapaz misterioso que também se comunica com Deus, teria sido um ótimo gancho para uma terceira temporada que nunca veio e nunca virá. Restam apenas as boas lembranças de Joan, do Chief Girardi, da Helen, do Luke e do Kevin (que era meio sacal, é verdade, mas ainda estou emotivo com o final da série). E de toda a galerinha da escola também. Fica ainda a certeza de que Amber Tamblyn entregou uma das grandes performances da televisão americana nos últimos anos – reparem bem naquele episódio da morte da Judith; não é qualquer atriz de 20 anos que faz aquilo.

Joan of Arcadia se despede do blog!

Joan of Arcadia se despede do blog!

Mudando de pato pra ganso, só hoje tive chance de checar a lista dos episódios submetidos ao Emmy. Como acompanho religiosamente a maioria das séries indicadas, já vi quase tudo – vou baixar os que faltam e tentar rever os já assistidos para tirar a prova dos nove. Mas já compartilho com vocês algumas impressões que ficaram: “30 Rock” e “Mad Men” são os vencedores inevitáveis como Melhor Comédia e Melhor Drama, respectivamente. O melhor conjunto de episódios, contudo, é o de “Family Guy” – que por ser animação consegue ir a fundo num humor que em séries de live action soaria artificial – entre as comédias e “Damages” entre os dramas (confesso que, nesse caso, por questão de preferência mesmo, já que a qualidade de “Mad Men” é equivalente). Entre os atores, Alec Baldwin tem tudo pra ganhar pela segunda vez por “30 Rock” (ele submeteu “Generalissimo”, onde dá um show fazendo paródia das telenovelas latinas) e Hugh Laurie, o House, que ainda não tem Emmy na sua coleção de prêmios, mandou seu melhor momento na temporada, “Under My Skin” (e se isso não bastar para premiá-lo, ao menos o torna o mais merecedor da categoria). Atriz nem tem dúvida: que votem em Glenn Close (“Trust Me”) e Toni Collette (“Pilot”) de olhos fechados. Entre os coadjuvantes, me falta ver a fita de três dos indicados como ator em drama (favorito atual: William Hurt), mas reafirmo minha preferência por Neil Patrick Harris em comédia. Jane Krakowski tem tudo para vencer por “30 Rock” (mandou “The Ones”, onde tem muito destaque) e Rose Byrne, que submeteu o mesmo episódio da Glenn, é de longe a mais assombrosa entre as atrizes dramáticas.

Vou conferir os episódios que me faltam e sugiro que você, predictor, faça o mesmo!

Anúncios
Categorias:TV
  1. Alex Pizziolo
    30 julho 2009 às 5:01 am

    Tô acompanhando a “construção” dessa lista desde semana passada, rs.
    Também vi bastante do que está indicada, mas tem bastante que não vi!
    Estou correndo pra ver o que não vi (e que me interessa, claro).

    William Hurt tinha tudo pra ganhar um Emmy, mas submeteu um episódio ridículo. Acho que o Emmy está entre Aaron Paul e William Shatner.

    Rose Byrne e Diannes Wiest brigam pelo Emmy de coadjuvante.

    Glenn já está com o Emmy na mão, mas Kyra Sedgwick pode atrapalhá-la.

    Não garanto a vitória da Toni garantida não, Tina Fey existe.

    Jane Krakowski submeteu um ótimo episódio, mas Elizabeth Perkins submeteu um ainda melhor! Mas eu queria tanto que a Kristin Chenoweth também ganhasse… estou entre as três!

    Mad Men e 30 Rock saem vencedoras com certeza! Mas há esperança pra Damages e The Office!

    Dizem por aí que o episódio escolhido pelo Neil Patrick Harris não é o melhor dele, dizem que o front-runner é o Rainn Wilson. Torço pelos dois de 30 Rock, únicos que vi.

    Já falei demais, fui!

    • 30 julho 2009 às 6:01 am

      Alex, o problema é que isso de submissão de episódio serve mais pra gente escancarar as injustiças. Muito dificilmente os votantes consideram o episódio submetido; tem uma série de fatores que influencia, como o hype da série, a trajetória do ator, a força do nome. Por isso ainda continuo acreditando na vitória do William Hurt (me falta ver Aaron Paul e os homens de Boston Legal e até então ele seria minha opção por “merecimento”, também).

      Eu não garanti a vitória da Toni, só confirmei que ela merece os votos e gosto da submissão dela. A Tina tem contra si o fato de que ela própria prefere ser vista como roteirista – e é muito raro o Melhor Ator e a Melhor Atriz do ano virem da mesma série (em Comédia, isso aconteceu ano passado com “30 Rock”, mas não acontecia desde 1980).

      Não gosto da Perkins na quarta temporada de Weeds; prefiro a personagem nos anos anteriores – mesmo nessa quinta temporada, que está no ar agora, ela tem mais chances. Chenoweth é prejudicada pela série já ter sido cancelada. Acho que o prêmio fica entre Jane e Amy Poehler.

      E simplesmente não acredito no Rainn Wilson. Esse ano quem está evidência é “30 Rock” (o que pode favorecer um dos dois indicados, mas não acredito) e Neil Patrick Harris, que apresenta a cerimônia.

      Flw! 😉

  2. Régis
    30 julho 2009 às 4:08 pm

    Damages, Damages e Damages. Pena que a gente não pode votar né Louis. Teria orgasmos multiplos vendo “Damages” tirando o Emmy de série dramatica de “Mad Men”.

  3. 30 julho 2009 às 4:16 pm

    MEDO da Rose Byrne ganhando esse Emmy =P

  4. Kau Oliveira
    30 julho 2009 às 5:54 pm

    Me irrita um tantinho algumas coisas. Por exemplo: não acho que 30 Rock mereça novamente… mas é questão de gosto mesmo. O mesmo ocorre com Fey: apesar de achá-la genial, acredito que Toni mereça mais.

    No drama – nicho que mais me interessa – colocaria a estatueta do Emmy na prateleira de Big Love. Entretanto, Mad Men e Damages vieram impecáveis tb.

    Abs!

    • 31 julho 2009 às 12:59 am

      Régis, com certeza! Gosto de Mad Men, mas se fossemos todos votantes do Emmy, Damages ganharia com uma mão nas costas!!! 🙂

      Matt, acho que Byrne evoluiu bastante da primeira temporada para esta segunda. A personagem está mais dona de si, dá mais oportunidades.

      Kau, 30 Rock seria minha segunda opção, depois de Family Guy. Big Love é ótima mas daria a dianteira para Mad Men e Damages mesmo. Abs!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: