Início > Cinema > Oh! E agora quem poderá me defender?

Oh! E agora quem poderá me defender?

No clima da Comic-Con (todo ano eu morro de inveja do pessoal que comparece e juro pra mim mesmo que vou economizar para ir à edição seguinte – plano que, nem preciso dizer, nunca foi adiante), resolvi avaliar os últimos filmes de super-herói que assisti. Um dos nichos mais queridos dos fãs de ficção científica (que correspondem a 80% do público da Comic-Con – o restante é de jornalistas e de garotas histéricas que só estão interessadas nas prévias de “Lua Nova”, a continuação do pavoroso “Crepúsculo”), os filmes de herói costumam ser baseados em quadrinhos que já tinham uma grande legião de seguidores. São desenvolvidos sob a pressão dos fãs e lançados como garantia de sucesso (em raros casos isso não se confirma).

Os que vi (ou revi) em 2009 foram:

heath

* Batman – O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight, 2008, dirigido por Christopher Nolan): Revisto no começo do ano em Imax, “O Cavaleiro das Trevas” dispensa comentários. Não é a Guerra Mundial do século 21 como pregam seus defensores ardorosos, mas é denso, perturbador, bem realizado e dominado pela presença de Heath Ledger como o eloquente Curinga. Os problemas estão no personagem de Aaron Eckhart, que sofre uma brusca mudança de caráter sem com que o roteiro desenvolva cenas que a justifique. Mas não deixa de ser um dos exemplares mais notáveis do ano passado. Cotação: A-

* Homem-Aranha 3 (Spider-Man 3, 2007, dirigido por Sam Raimi): Quando vi o terceiro “Homem-Aranha” no cinema, na época de seu lançamento, só tive olhos para o Peter Parker emo, para Tobey Maguire pagando mico (a dancinha que ele é obrigado a fazer é vergonhosa) e para Kirsten Dunst posando de cantora da Broadway quando na verdade é fraca e sem brilho. Dois anos depois, porém, revi o filme já preparado para o que me esperava e curti muito mais. Dá para se divertir com as canastrices e se o excesso de vilões acaba sendo um problema, o clímax final não desaponta. Cotação: B+

iron-man_l

* Homem de Ferro (Iron Man, 2008, dirigido por Jon Favreau): Falaram desse “Homem de Ferro” como se fosse grande coisa, mas é só outra adaptação comum, com os pés no chão e ciente de suas ambições. Enquanto “Batman” e “Homem Aranha” apostam num clima cada vez mais sério e sombrio, este aqui quer ser diversão sem compromisso e nada mais. O diretor Favreau também é ator (foi o namorado da Monica na terceira temporada de “Friends”) e é competente como realizador – mas os maiores méritos são de Robert Downey Jr., que esbanja carisma no papel principal. E vamos combinar que para dar a volta por cima depois de tudo o que esse cara passou é preciso ser verdadeiramente heróico. Cotação: B-

* O Incrível Hulk (The Incredible Hulk, 2008, dirigido por Louis Leterrier): Menos complexo do que a versão de Ang Lee e comandado por um francês de pouca experiência, este novo “Hulk” não atingiria a mesma voltagem sem a dedicação de Edward Norton. Como já comentei por aqui, Norton se envolve de corpo e alma, tem liberdades para alterar o roteiro e sempre acaba enriquecendo os filmes com seus palpites. Optando pela simplicidade, “O Incrível Hulk” é o entretenimento leve que o público procura. Para ver, se divertir e esquecer. Cotação: B-

* Os Incríveis (The Incredibles, 2004, dirigido por Brad Bird): Primeira animação da Pixar protagonizada por humanos, “Os Incríveis” (que seriam melhor traduzidos como “Os Inacreditáveis”) são uma família de heróis forçados a viver, por decisão do governo, como cidadãos comuns. Os poderes (invisibilidade, elasticidade, força, velocidade etc.) são emprestados de outras histórias (possui enorme semelhança com os gibis de “Quarteto Fantástico”, que depois originariam um filme bem inferior a este aqui), mas utilizados com eficiência. Um dos melhores daquele ano. Cotação: A+

watchmen5

* Watchmen – O Filme (Watchmen, 2009, dirigido por Zack Snyder): Espetacular foi a minha primeira impressão. Meses se foram desde o lançamento nos cinemas e “Watchmen” se mantém entre os meus favoritos de 2009. Snyder, o diretor de “300”, garantiu que não faria mais um filme-pipoca, e não estava de brincadeira. Ele surpreendeu com decisões pouco comerciais (as cenas fortes de violência e a constante nudez frontal do personagem de Billy Crudup resultaram em censura máxima) e ao não fazer concessões para agradar a platéia (o espectador médio pode se irritar, por exemplo, com a excessiva câmera lenta). Conseguiu fazer um filme bonito, pesado mas elegante (a sequência de créditos é das mais belas que eu já vi e a trilha sonora enriquece as cenas que acompanha), que funciona como adaptação e também se sustenta sozinho. Cotação: A-

E você? Quais filmes de herói tem visto ultimamente?

Anúncios
Categorias:Cinema
  1. 25 julho 2009 às 3:54 pm

    Apesar de ser o mais fraco da saga, Homem Aranha 3 teve um final que me agradou bastante.

  2. . bia
    26 julho 2009 às 1:26 am

    Já vi todos e o único que n gostei foi Watchmen!! 😦

  3. Raphael Coleto
    26 julho 2009 às 11:29 am

    Cara, muito bom seu blog! Dos filmes que vc comentou, não gosto muito do Homem Aranha 3 (Peter emo foi pra matar!), mas adoro Os Incriveis e O Cavaleiro das Trevas (melhor filme de 2008).

    Abs.

    • 27 julho 2009 às 11:50 am

      Mark, também achei o clímax do final de Homem-Aranha muito legal – e o filme tem vários “clímaxes” espalhados no desenvolvimento. Entretem, mantém a atenção e nunca cai no cansativo. Só peca um pouco pelo excesso de subtramas!

      Bia, Watchmen dividiu opiniões. Eu faço parte do grupo que aplaudiu de pé! 🙂

      Raphael, obrigado! E entendo que não goste de Homem-Aranha 3. Eu mesmo não fiquei fascinado a uma primeira assistida e só fui considerar rever agora, dois anos depois. Abraço!

  4. 26 julho 2009 às 11:58 am

    O único que vi este ano foi Watchmen mesmo, há uns 4 meses (última vez que fui ao cinema, inclusive – moro numa cidade que é infeliz neste aspecto). Gosto muito também, mais pela competência de fazer uma adaptação dos sonhos de qualquer fã. Só acho que a câmera lenta é justamente pra agradar. Aquilo é pop demais, irrita por ser cafona, por não ter sentido dentro da obra, puro maneirismo. MAs tá valendo… a abertura é linda.

    De resto, revi recentemente As Panteras: Detonando. Ta valendo como filme de herói?

    Abços!

  5. Luísa
    26 julho 2009 às 11:22 pm

    Tb assisti Batman no IMAX do Bourbon! Sem palavras! *.*

    • 27 julho 2009 às 12:22 am

      Helio, o diretor podia ter pesado menos a mão no uso da câmera lenta. Não acho cafona, acho até que colabora com a estética que está sendo construída. Só acho cansativa, se não dosada com cuidado. E acho que As Panteras é aceitável como filme de herói – afinal, temos três mulheres boas de briga defendendo causas justas; e pelos mesmos critérios, Batman (ou Bruce Wayne) também é apenas humano e não sofreu nenhum acidente fatal que tenha contribuído para a sua condição de protetor dos cidadãos de bem! 😉

      Luísa, o IMAX é mesmo uma experiência sensacional! Em breve, vou rever Harry Potter nesse sistema!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: