Início > TV > O pavoroso final de temporada de Desperate Housewives

O pavoroso final de temporada de Desperate Housewives

* Com SPOILERS para quem não acompanha junto dos Estados Unidos *

O que mais me fez rir no final de temporada de “Desperate Housewives” não foi nenhuma piadinha planejada com esse intuito. Foi um momento que deveria ter grande impacto dramático e, no mínimo, estar carregado de tensão: Susan tinha acabado de descobrir que o vizinho Dave era mesmo maníaco – e que tinha ficado assim desequilibrado por conta da morte da família num acidente de carro em que ela estava envolvida. A Super Susan, então, lhe dá uma pedrada na cabeça com tanta força que o deixa desacordado, e sai correndo no meio do mato com o filho pequeno, MJ. Durante a fuga, Susan tropeça e, desse tombinho de nada, fica manca, sem conseguir andar direito. Diz então para o menino: “Vá, corra, se esconda e não deixe o Dave te achar!”. Agora me responde: que mãe deixaria o filho sozinho numa situação dessas, com um psicopata correndo atrás dele querendo lhe tirar a vida? Foi aí que eu ri até minha barriga doer – um riso involuntário e gostoso, mas também levemente melancólico, num misto de vergonha e pena. Vergonha pelo cara que escreveu esse roteiro, pelos atores submetidos ao ridículo e pelas crianças somalianas que poderiam ter sido alimentadas com a verba deste episódio. E pena do criador Marc Cherry, que está afundando, aos poucos, o programa de sucesso que conseguiu emplacar depois de quebrar muito a cara na indústria do entretenimento. É difícil explicar o porquê, mas em algum ponto do processo, ele se perdeu completamente. Bem disse Nicolette Sheridan antes de deixar o elenco (a personagem dela, Edie, morreu mais cedo na temporada e apareceu brevemente neste finale em espírito): Cherry está lelé da cuca. Não sabe diferenciar ficção de realidade, enfia filtro de tudo que é jeito em sua própria vida, chupa as situações que vivencia e usa pessoas que conhece para dar molde aos personagens. Para completar, é cabeça dura e insiste em algumas mudanças que – tá na cara – não vão dar certo.

dave

Essa quinta temporada já vai tarde. Conseguiu ser a pior da série, ou tão ruim quanto a segunda. Mas como eu estava tendo esse mesmo desânimo com relação a “Grey’s Anatomy”, e como o final de temporada desta não falhou em me agradar, estava esperando que “Desperate Housewives” fosse dar a volta por cima e se encerrar de forma digna, com boas promessas para o recomeço daqui a quatro meses. Pois banquei o patinho. Não me queixo tanto da primeira parte, que foi um ótimo episódio de metade de temporada (bacana, engraçado e divertido, mas sem o peso, o conteúdo e a relevância que se esperaria de um finale), mas quando chegou a segunda… Ah, eu não aguentei. Primeiro porque tudo se construía em torno da resolução do mistério do Dave, uma charada que todo mundo já matou a meses. Estava óbvio que ele ia se voltar contra a Susan e o menino, e também era mais que previsível que os dois sairiam ilesos. Até porque houve uma porção de acontecimentos favoráveis durante o episódio – muitos mesmo, demais da conta. Os investigadores ligaram a morte do terapeuta ao Dave na hora H; a secretária do terapeuta “por acaso” ligou pra irmã da Mrs. McCluskey (a legendária Lily Tomlin reprisa a participação); a irmã da Mrs. McCluskey chega em Wisteria Lane para botar um ponto final no mistério (mas tem muito pouco – ou nada – a fazer); e Mike, no aeroporto, de partida para o casamento-relâmpago com a dissimulada Katherine, vê por acaso o vídeo da confissão-prévia do Dave, quando esbarra o dedo na câmera (outra feliz coincidência: Katherine pegou a fita em questão antes de sair de casa). Tudo muito, mas muito forçado. E não para por aí! Sabe-se lá como, deram conta de encafonar ainda mais essa história, quando o próprio Dave desiste de levar o plano adiante e deixa o MJ-mala e a Susan-mais-mala-ainda vivos – tudo porque recobrou a razão quando viu o fantasminha da filha lhe lançando um charminho pelo retrovisor do carro!

Coadjuvantes a esta palhaçada ficaram as tramas das outras housewives, e ao menos uma delas foi tão ridícula quanto. Me refiro, é claro, ao caso de Bree e Karl que, ao que parece, será explorado na próxima temporada – não que eu vá assistir. Repentino demais. Faltou o desenvolvimento de cenas que tornassem esse envolvimento mais palpável e coerente. Fora que “Desperate Housewives” está começando a parecer “Gossip Girl”. O troca-troca de casais é o mesmo! Só existem aquelas pessoas de Wisteria Lane para transar, namorar ou casar: Mike ficou com Susan, Edie e Katherine; Carlos ficou com Gabrielle e Edie; Orson ficou com Bree e Edie; Karl ficou com Susan, Edie e Bree. Só Tom e Lynette continuam firmes e fortes um com o outro – e bota firme e forte nisso! Ela está grávida de novo, viram só? Só uma pergunta ao Marc Cherry: o maldito avanço de cinco anos não foi para adiantar a maternidade da Susan e da Bree, que tinham na época dois recém-nascidos? E agora ele vai trazer mais disso pra série? Repetindo uma trama já sugada à exaustão? Qual é a tua, Marc? Bota essa cabecinha pra funcionar! O único elogio incontestável que consigo fazer a esse desfecho ridículo – à altura da temporada que o antecedeu – é à sobrinha do Carlos que se apossou da casa dos Solis e já bateu de frente com a Gabby. A atriz em questão é bonita, promissora e parte-brasileira, e a personagem está redondinha.

Concluo com uma declaração nada empolgada: sempre tive “Desperate Housewives” na minha lista de séries cativas e acompanho religiosamente desde o primeiro episódio. Mas depois dessa perda de tempo, preciso pensar seriamente se vou continuar assistindo a próxima temporada. E caso eu decida abandonar, que fique claro que não foi por falta de chances!

Anúncios
Categorias:TV
  1. 18 maio 2009 às 6:42 am

    Só vi a primeira temporada e um pouco da segunda desta série. Até estava a achá-la interessante, mas, por efeitos de programação – andava a saltitar de canal em canal – perdi-lhe o rasto.

    Abraço.

    • 18 maio 2009 às 1:07 pm

      Red Dust, e você fez muito bem! Conseguiu manter uma imagem imaculada da série, de uma época em que era boa. A primeira temporada foi genial e me ganhou de imediato, mas decaiu demais no segundo ano, se recuperou um pouco no terceiro e mais ainda no quarto – para ir agora ladeira abaixo de novo!

      Abraço.

  2. 18 maio 2009 às 11:09 pm

    Ai, Deus!!! Só li o título e fiquei me segurando para não ler o texto. Foi tão ruim assim? Vou ter que esperar a Sony mostrar para poder conferir isso.. 🙂

    Beijo!

    • 18 maio 2009 às 11:46 pm

      Pior do que qualquer um de nós poderia esperar, mesmo com uma temporada fraca como esta, Ka!!! 😦

      Espere só pra ver e depois passe aqui para ler o post e ver se concorda em alguma coisa!

      Beijão!

  3. 19 maio 2009 às 1:09 am

    Louis, tu sabes como eu estou achando MUITO irregular essa temporada. É muita repetição (Susan indo e voltando nos relacionamentos, Lynette não conseguindo conciliar trabalho e família, Gabrielle no dilema de beleza interior/exterior) e NADA, absolutamente NADA é original. Uma pena. Depois desse seu texto só fiquei com mais medo de conferir a season finale – que assistirei ainda essa semana.

    • 19 maio 2009 às 2:25 am

      Matt, e você leu o texto mesmo sem ter visto o episódio?? rsrsrs

      Concordo plenamente com você. Essa temporada foi cheia de problemas, mas eu tinha uma leve esperança de que fosse melhorar e entregar, no mínimo, um final digno. E não foi o que aconteceu, não mesmo! Lamentável uma série tão boa ter se perdido desse jeito…

  4. Amanda
    19 maio 2009 às 6:51 am

    “é à sobrinha do Carlos que se apossou da casa dos Solis e já bateu de frente com a Gabby. A atriz em questão é bonita, promissora e parte-brasileira, e a personagem está redondinha”…ñ sei se vc concorda, mas ñ parece uma reciclagem do storyline Kayla? Sobre o resto ñ vou nem perder meu tempo comentando.

    • 19 maio 2009 às 7:16 am

      Com certeza tem semelhança, Amanda! Ou seja, outro indício claro de que estão esgotados de boas idéias!!

  5. 21 maio 2009 às 12:32 am

    Eu parei no começo da primeira temporada que estava genial. Esse final de Desperate foi mais inferior ao final da quinta de Nip/Tuck? O final da quinta de Nip/Tuck foi fraco, mas que me agradou.

    • 21 maio 2009 às 1:14 am

      Mark, MUITO, MUITO mais inferior, como você pode ver no meu ranking de episódios, na página Séries 2009. Nip/Tuck, se não fosse por aquela reviravolta cafajeste nos últimos minutos, teria um final razoável. Este aqui, pelo contrário, foi péssimo sob todos os ângulos, do começo ao fim. Bem fez você que abandonou quando ainda restava uma boa lembrança da série!

      • 21 maio 2009 às 8:49 pm

        Nip/Tuck é bem escrito e dirigido, geralmente os problemas surgem com os acontecimentos, como foi o exemplo da cena final. Mas acredito que teremos excelentes episódios no final da série, se até Grey’s Anatomy conseguiu se superar nos últimos da irregular quinta temporada, acredito que Nip/Tuck consegue em sua última temporada. Lembra de Six Feet Under? Acho os últimos da série os melhores episódios que a série apresentou.

  6. Rose
    21 maio 2009 às 4:16 am

    Engraçado que qdo vi a Bree e o Carl eu pensei exatamente o que vc comentou, isso ta parecendo gossip girl, então não estou tão louca assim…
    Desperate era de longe minha série favorita mas nos ultimos tempos fico com 4/5 episódios parados no micro sem vontade de assistir o que não acontece com outras séries que acompanho, eu só fui assistir os 4 ultimos episodios dessa temporada depois de ter visto as SF de private, brothers, greys e gossip, lamentável, vamos ver o que acontece com a próxima.

    • 21 maio 2009 às 5:38 am

      Rose, concordo plenamente com você! Houve em tempo em que Desperate também era minha série preferida – ah, saudosa primeira temporada! Não perdia nenhum episódio, e via tudo pela TV, na Sony: toda quinta-feira à noite era sagrado! Hoje, assisto por inércia e se perder um episódio, ou dois, ou três, não sinto falta, não me mato para ir atrás, nada disso. Ou seja, se tornou uma série irrelevante. Uma pena!!

  7. Adriano
    24 maio 2009 às 12:16 am

    Concordo plenamente com a crítica. Só faltou comentar do cliffhanger patético que deixaram para a próxima temporada. Acho que esse cliffhanger é a melhor demonstração de como a série está indo (foi?) para o buraco. A partir do momento em que o que acontece com os personagens não é mais motivo de ansiedade – como é o caso -, fica claro que alguma coisa está errada com o roteiro da série. Enfim, vou dar uma última chance para Desperate Housewives, assistindo ao primeiro episódio da próxima temporada, dependendo de como as coisas se desenrolarem ali, eu largo a série de vez. E o pior: sem me sentir nem um pouco culpado por isso. hehe.

    • 24 maio 2009 às 3:13 am

      De acordo, Adriano! Esse cliffhanger foi uma das coisas mais desinteressantes que eu já vi. Zero emoção, zero curiosidade para saber com quem Mike está casando. E zero empolgação para a próxima temporada – se assistir, será apenas por inércia e por uma consideração antiga com a série!

  8. Vania
    5 junho 2009 às 1:28 am

    Pois é, eu acabei de assistir o epi em que o Dave volta do acampamento sem ter matado a Kath, e procurei um spoiler para saber logo aonde ia dar essa chatice toda. E eu nem achei a temporada tao ruim assim. O probklema que eu vejo é essa insistência em temas já batidos, como da Lynete/Susan. Por outro lado, os Sollys voltaram a ser como antes, que agrada mais e deram outro tema p a Susan. Eu sempre achei a Lynete corporativa muuuito mais divertida, tanto que hoje, a cena mais engraçada foi a dela mandando as filhas do Carlos mexerem nos bichinhos da gorda chata que acabou sendo demitida, mas aí vc me disse que ela vai reviver a gravidez (nãããão). Que bobajada… ai ai… e outra coisa, porque os filhos dela são tão mal-caráter? E n eram 3 meninos e 1 menina? Por que só apareciam 2 meninos? E aquela pizzaria foi um saco! Acho que n desisto de Desperate, não. Se bem que eu demorei p desistir de Heroes…

    • 5 junho 2009 às 1:54 am

      Vania, eu estava achando essa quinta temporada de Desperate Housewives apenas irregular – boa, mas abaixo do que a série costumava ser. Já o season finale foi um desastre e deixou pouca, ou nenhuma, esperança para a sexta temporada!!! 😦

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: